Mendoza – Argentina – Mais do que vinhos

Mendoza – Argentina – Mais do que vinhos

Ninguém duvida que as bodegas sejam o grande atrativo de Mendoza, mas, depois de algumas taças, tours e degustações, você talvez comece a achar os passeios um pouco repetitivos. Afinal, não dá pra viver só de vinhos – mesmo que estejamos falando de vinhos espetaculares! Para dar um descanso ao corpo que tal conhecer um pouco mais da cidade? Não serão necessários mais do que dois dias para circular nos principais pontos turísticos e avenidas. É mesmo um intervalo entre as bodegas e os esportes de aventura. O passeio vale a pena!

O centro é bem arborizado e as ruas são tranquilas e seguras (mesmo durante a noite). Caminhe ao longo de toda a Peatonal Sarmiento e aproveite para visitar as principais praças da região: Independencia, España, Itália, Chile e San Martín são perfeitas para um descanso ao longo do dia, além de serem ponto de encontro cativo dos mendocinos. Para ter uma visão geral da cidade, visite o Cerro da Gloria; a vista de Mendoza é panorâmica e o pôr do sol, um espetáculo à parte. Para chegar é preciso passar – ou passear – pelo Parque General San Martín, o maior da América Latina.

Está sobrando tempo e ainda cabem algumas visitas? Experimente conhecer um pouco mais sobre Mendoza nos centros culturais. O Museo Histórico General San Martín conta a história da independência argentina. Para conhecer mais sobre Mendoza no tempo de colônia visite o Museo del Area Fundacional e o Museo del Pasado Cuyano. Já o Museo Municipal de Arte Moderno (localizado na Plaza Independencia) tem mostras de diversos artistas locais.  

Alguns dos mais famosos pontos turísticos não estão na cidade. Ao longo da Ruta Nacional n° 7 – a quase 200 km do centro – estão a Puente del Inca, a Puente Picheuta e o Aconcágua. Além, é claro, de a própria estrada ser um dos mais belos cartões-postais de Mendoza. Não deixe de separar um dia de sua estada para passear por lá! 

Principais pontos turísticos de Mendoza

Mendoza – Argentina – Mais do que vinhos

Puente del Inca

À primeira vista, parece tudo feito pelas mãos do homem. Ao olhar mais atentamente, percebemos que a paisagem em tons de ocre é mesmo obra da natureza. A Puente del Inca surpreende pela grandiosidade da ponte natural sobre o Rio Caves. São 48 metros de comprimento e 28 de largura, encantando os turistas. A pouco mais de 180km de Mendoza, seguindo pela Ruta 7, a curiosa formação geomorfológica impulsiona a vida do pequeno povoado (com menos de 200 habitantes). A paisagem é completada pela Cordilheira dos Andes.

Nem sempre a área foi tão pouco habitada. No século passado, um grande hotel aproveitou a fama das águas termais e construiu por lá uma sede que prometia a cura de muitos males. O negócio funcionou bem, até que uma avalanche destruiu todo o local. Sobraram apenas a capela e as termas. Hoje as ruínas fazem parte da paisagem, que é área de proteção natural da Província de Mendoza. Você encontrará por lá pequenas barracas de artesanato que vendem objetos produzidos com a mesma formação rochosa da ponte.

Para visitar a região, basta pegar a Ruta Nacional 7 a caminho do Chile. Todos os chamados “tours de alta montanha” têm parada programada na ponte.

Cerro de La Gloria

O monumento que orna a nota de 5 pesos é famoso entre os argentinos. No alto do Cerro de La Gloria (ou Monte da Glória), o conjunto de imagens de nome “Ejército de los Andes” tem como ponto alto o General San Martín sobre o cavalo. É uma homenagem aos 100 anos da travessia da Cordilheira dos Andes, pelo exército a comando do general, em busca da independência argentina. Outros momentos desse capítulo argentino também estão representados. É quase como em um livro de história.

O Cerro de La Gloria está localizado dentro do Parque General San Martín. Para chegar até lá é possível realizar uma trilha a pé, ir de carro ou até em um ônibus panorâmico (com saída da Plaza Independencia). A vista é digna da importância do monumento; do alto é possível ver toda a cidade de Mendoza e ainda apreciar um lindo pôr do sol.

O Monumento pode ser visitado todos os dias, das 9h às 17h.

Mercado Central

Nada como um bom mercado para conhecer bem os hábitos de uma cidade. Neste caso, hábitos dos mais saborosos! No Mercado Central de Mendoza, pequenas lojas vendem as mais deliciosas iguarias argentinas, tudo regado a um bom papo com os vendedores. É, sem dúvida, um dos melhores lugares para experimentar a culinária local. Tudo simples, sem requinte e de encher os olhos e o estômago!

Para quem quiser levar os produtos para casa, não faltarão opções. Entre presuntos crus, embutidos tradicionais, frutas secas e vinhos regionais, você irá se perder com tantas delícias!

Funcionamento: De segunda a sábado, das 8h às 13h e das 16h às 19h; a praça de alimentação funciona das 8h às 19h.

Av España 1210 ou Av. General Las Heras 300, Mendoza
Telefone: +54 261 425-6904
Site: http://www.mercadoc.com.ar/

Museo del Area Fundacional e Ruínas Jesuíticas de São Francisco

Fundada em 1561, Mendoza sofreu, exatamente 300 anos depois, um forte terremoto que destruiu toda a cidade. Hoje reconstruída, Mendoza busca preservar parte dessa história no Museo del Area Fundacional. Mais do que um museu, o prédio é o berço da cidade. Na área você poderá ver escavações de antigos prédios soterrados e destruídos pelo terremoto.

A única construção da época que ainda está de pé – ainda que em ruínas – é a Igreja de São Francisco, construída por padres jesuítas entre 1716 e 1731. Ela agora é preservada como Monumento Histórico Nacional.

Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 8h às 20h; aos domingos, das 15h às 20h; e aos feriados, das 11h às 19h.

Plaza Pedro del Castilho

Site: http://www.ciudaddemendoza.gov.ar/turismo/-maf-

Telefone: +54 261 425-6927

Rua Beltrán com Videla Castillo, Plaza Pedro del Castillo, Mendoza
Telefone: +54 261 425-6927
Site: http://www.ciudaddemendoza.gov.ar/turismo/-maf-

Museo del Pasado Cuyano

Na casa que pertenceu ao ex-governador Don Francisco Civit, declarada Monumento Histórico Nacional, funciona hoje o Museo del Pasado Cuyano. Em quatro pátios que compõem a casa você conhecerá mais sobre a história dos povos das províncias de Mendoza, San Juan e La Rioja.

Ambientes que reproduzem a vida desses povos no século XIX – período da colônia – são o principal foco do museu. Itens de época, vestuário histórico, obras de arte, armamentos e até uma sala em homenagem ao General San Martín fazem parte do acervo. Vale o destaque para o espaço onde é contada a história da descoberta e exploração de petróleo em Mendoza, para a sala de objetos sacros e a de descobertas arqueológicas feitas na região.  

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 13h. 

Montevideo 544, Mendoza
Telefone: +54 261 423-6031

Museu Histórico General San Martín

Um personagem da história argentina é quase onipresente em Mendoza. O nome está grafado em ruas, praças, parques, lojas e monumentos da cidade. General San Martín é o grande libertador daquele país. Por muitas vezes ele esteve na Cordilheira dos Andes e em terras mendocinas, em busca desse feito histórico. Acompanhado do Exército Libertador, o general lutou batalhas que levaram à independência de Argentina, Chile e Peru.

Em homenagem a ele foi construído o Museo Histórico General San Martín. Lá podem ser vistos seus objetos pessoais, além de armas e uniformes do Exército Libertador, e cenários de época. O museu é pequeno e fica em uma das avenidas mais arborizadas de Mendoza, chamada de Alameda e construída a pedido do general. 

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 18h; aos sábados, das 10h30 às 13h30. 

Remedios Escalada de San Martín, 1843 – Alameda, Mendoza
Telefone: +54 261 428-7947

Parque General San Martín

Basta abrir uma pontinha de sol e os moradores de Mendoza correm para aproveitar o Parque General San Martín. Passando pelo imponente portão de ferro, acesse uma das mais belas regiões da cidade. A área, de 400 hectares, abriga várias praças, lagos, chafariz, parques infantis e espaços para piqueniques e churrascos, claro! Além do zoológico, há o Museu de Ciências Naturais e Antropológicas, o anfiteatro onde acontece a Festa da Vendímia, o Estádio Provincial Malvinas Argentina, a Universidade Nacional de Cuyo e até um clube de golfe!

Entre as alamedas arborizadas não faltará um cantinho para relaxar, caminhar ou dar uma volta de bicicleta (na entrada principal do parque há possibilidade de aluguel), ou você poderá optar por um passeio em ônibus panorâmico (com saída da Plaza Independencia) que levará você por todo o parque, até chegar ao Cerro de La Gloria.

O parque está aberto 24 horas, todos os dias da semana. 

Avenida Los Plátanos s/n, Mendoza
Telefone: +54 (261) 420-5052
Site: http://www.parques.mendoza.gov.ar

Parque Provincial Aconcágua

Na Cordilheira dos Andes, a 6.962 metros de altitude, está uma das maiores atrações de Mendoza. A “sentinela de pedra” – como é conhecido o monte Aconcágua – é tão imponente que parece mesmo tomar conta de toda a província. O ponto mais alto das Américas atrai montanhistas de todo o mundo. Em busca de superar limites, eles encaram as paredes de gelo e realizam uma das mais perigosas escaladas do mundo. O turista comum também tem vez por lá: o registro da espetacular paisagem pode ser feito à beira da estrada ou no mirante do Parque Provincial Aconcágua.  

Ponto final de um dos mais populares tours de Mendoza, o Aconcágua é visita obrigatória. Através da Ruta Nacional 7, o “tour de alta montanha” segue até chegar na entrada do parque. Lá você poderá apreciar a enorme formação rochosa coberta de neve eterna.

Atenção para um detalhe importante: o Parque Provincial Aconcágua permanece fechado na maior parte do ano, devido à periculosidade das trilhas. Ele costuma estar aberto entre novembro e fevereiro, mas a data exata varia todos os anos. O mirante segue as mesmas restrições. Por isso, fora de temporada, só é possível ver o Aconcágua da estrada. E ainda assim ele é grandioso!

Parque Provincial Aconcágua, Mendoza
Site: http://www.aconcagua.mendoza.gov.ar/

Paseo Peatonal Sarmiento

O trecho de três quadras que liga a Plaza Independência à Avenida San Martín é um um dos mais belos passeios de Mendoza. Ao longo de três quadras, com circulação apenas para pedestres, você poderá caminhar em meio ao verde das grandes árvores, sentar-se em gazebos aconchegantes ou simplesmente ver a vida mendocina passar tomando um delicioso café com tostadas.

A rua é repleta de bares e restaurantes, com mesas ao ar livre, para todos os gostos. Lá o movimento vai do início da manhã ao final da noite. É difícil escolher onde sentar-se. Com sorte, você poderá ver um dos shows de rua, sempre com boa música, que acontecem por lá.

Alguns prédios históricos ajudam a compor a paisagem: a igreja San Nicolás y Santiago Apóstol (n° 160), a Legislatura Provincial (n° 249), a Bolsa de Comércio (n° 165) e a Pasage San Martín (n° 45), que esconde um belo vitral na passagem interna. 

Plaza Independencia

Se há um ponto de encontro de todos os moradores de Mendoza, certamente é a Plaza Independencia. Ela marca o centro da cidade e tem tamanho equivalente a quatro quarteirões. Ao longo do dia, o público muda, mas ela nunca está vazia. Entre belas fontes e árvores exuberantes, você poderá conhecer um pouco mais sobre os hábitos mendocinos.

Cada ponto da praça guarda uma boa surpresa: feira de artesanato, palcos de apresentações artísticas, fontes luminosas, o Museu Municipal de Arte Moderna, o Teatro Municipal e quiosques de comidas típicas são algumas delas. Espetáculos de música e teatro também surgem quando menos se espera.

A Plaza Independencia é a maior praça da cidade. No entorno dela, a dois quarteirões de distância a partir de cada ponta, você também poderá visitar as praças San Martín, Chile, Itália e España. Todas são ótimos pontos para descansar depois de um longo dia de passeio. 

Puente Picheuta

Para transpor a Cordilheira dos Andes – em 1817 -, o Exército Libertador, comandado pelo General San Martín, atravessou a pequena ponte sobre o Rio Picheuta em busca da independência argentina. Hoje ela não é rota para a travessia, porém ganhou o título de “lugar histórico nacional”.

A 21km da vila de Uspallata, quase à margem da Ruta Nacional n° 7, a pequena ponte de pedras e argamassa já foi passagem oficial entre Argentina e Chile. Parte do cenário de um dos mais importantes eventos da história daqueles países, atualmente é cartão-postal e parada obrigatória para quem faz o “tour de alta montanha”.  

Ruta Nacional nº 7 – Tour de alta montanha

Pode parecer estranho indicar uma estrada como “ponto turístico” de algum lugar, mas, acredite, a Ruta Nacional 7 é um dos mais belos passeios para quem aporta em terras mendocinas. Não se preocupe em buscar os mirantes mais bonitos. Basta pegar a estrada em direção ao Chile e manter os olhos abertos. Pronto! Paisagens espetaculares, montanhas multicoloridas, neve permanente e túneis cheios de surpresas irão lotar o cartão de memória da sua câmera. A cada curva (e são muitas), um cenário completamente novo aparecerá à sua frente.

Alguns dos mais importantes pontos turísticos de Mendoza estão na beira da estrada – o que tornou esse passeio pela Ruta Nacional 7 um clássico na cidade. O “tour de alta montanha” é obrigatório para os admiradores da natureza. O Cordón del Plata, os vulcões Tupungato e Tupungatito, o Lago Potrerillos, o rio Mendoza, a montanha das sete cores, a Puente del Inca e Picheuta, o teleférico da estação de esqui Penitentes e o Parque Provincial Aconcágua estão todos à vista dos turistas. Acredite! Os 200km que ligam Mendoza à fronteira com o Chile parecem um permanente cartão-postal! Tudo emoldurado pela Cordilheira dos Andes. 

A via que liga a Argentina ao Chile é tão impressionante que vale a pena fazer a travessia de Santiago até Mendoza de ônibus – em vez de avião -, só por causa da vista. Se você já estiver pela cidade, todos os dias são realizados passeios para a região. O custo médio do tour de alta montanha é de 250 pesos por pessoa, em sistema de grupo. Os remis particulares também estão acostumados com essa rota.