Dicas para andar de táxi em segurança

Dicas para andar de táxi em segurança

Existem algumas maneiras de diminuir a possibilidade de problemas em viagens de táxi. Nem todo taxista é um enganador, mas existem muitos que se prevalecem de fragilidades de passageiros para ter algum tipo de benefício ilícito.

Dicas de segurança para andar táxi

Dicas para andar de táxi em segurança
  • Identificar um táxi real

Em cada cidade existe um tipo de padronização dos táxis. Cores, tipos de veículos ou outra coisa que se precisa estar atento para que não se entre em algum veículo clandestino.

  • Escolher um cooperativado

Entrar em carros de cooperativas que mostrem nome e telefone em adesivos colados de ambos os lados. O carro nessas condições pode não ser garantia total, mas diminui as possibilidades de ser enganado.

  • Dar preferência para os mais velhos

Na rua, dar preferência para os carros dirigidos por senhores de cabeça branca – a probabilidade de ser passado para trás por eles é menor.

  • Sempre que possível, pedir pelo telefone

Pedir um carro via rádio táxi é uma ótima escolha. Nos estabelecimentos normalmente há informações sobre alguma organização oficial que presta o serviço.

  • Pedir uma estimativa do valor

Perguntar quanto geralmente vale uma corrida dali para o ponto desejado; mas sempre andar com o taxímetro ligado e não aceitar valores previamente estipulados.

  • Use notas pequenas

Para evitar tentativas de fraude ou engano com notas falsas, ter sempre notas de pequeno valor é uma forma de evitar que alguma nota mais alta seja trocada, sem que percebamos.

  • Na hora de pagar, “narrar” o que está acontecendo

Dizer exatamente o que se está pagando e como está pagando mostra que você não está ali a passeio: “estou usando essa determinada nota para pagar a corrida que deu tantos, certo?”. Isso fará com que ele evite fazer a troca pela nota falsa ou dizer que você se enganou na hora do pagamento; como dizer que recebeu duas notas de 5 e não três para pagar uma corrida de 15; ou dizer que se entregou uma nota de 10 quando deveria ter entregue uma de 100, por exemplo.

  • Conferir antes de sair do carro

Não hesitar em conferir as notas e o valor do troco antes de sair do carro. Uma caneta de teste é uma boa escolha.

  • Ficar atento ao trajeto

Dar o endereço completo, citar a esquina mais próxima e não deixar de dar o número do destino final. A forma mais comum de enrolar o passageiro é andar em círculos enquanto o motorista mantém uma conversa para distrai-lo. Perguntar se aquele é o melhor trajeto, o mais comum ou porque demora tanto para chegar ao destino final.

  • Procure pela identificação

Em algum local visível existe uma identificação onde devem constar os dados pessoais do motorista, bem como da empresa a que ele presta serviço, se houver.