Cuidados com o Consumo de chá para a saúde.

Veja como deve ser consumido os chás corretamente, para a sua saúde.

No Brasil, o consumo de ervas medicinais está enraizado no cotidiano, herança das culturas quilombola, indígena e fluvial com um rico conhecimento da flora brasileira.
Seja pelo baixo custo ou pela força dessas tradições, as infusões de ervas tornaram-se uma prática comum e até um risco potencial.
Se as espécies de plantas não forem compreendidas, dosadas e usadas de forma consistente, elas podem causar inflamação no corpo, especialmente nos órgãos do sistema digestivo. Como resultado, podem ocorrer sintomas como desconforto, náuseas, vômitos e diarreia.

Isso ocorre porque, ao usar ervas, não apenas os ingredientes ativos, mas todos os elementos contidos neles são usados. Em uma erva ou medicamento tratado, saiba exatamente quanto o ingrediente ativo será usado e quanto o medicamento afetará o paciente. No entanto, o tratamento com infusões e cápsulas sem a orientação de um profissional de saúde pode resultar em sobre dosagem ou causar algum dano ao organismo. Em alguns casos, apenas uma dose errada da planta pode prejudicar o fígado e os rins, órgãos importantes para a eliminação de substâncias tóxicas do organismo.
“O problema é que muitas toxicidades hepáticas não apresentam sintomas. O fígado está inflamado, dolorido, mas as pessoas não sabem”, explica Carolina Pimentel, hepatologista e professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Pega ou não? Distinguir o uso ocasional de chá e infusão de uso terapêutico.


A seguir, confira alguns hábitos a serem evitados para que o consumo de chás e ervas seja saudável e sem riscos.

1. CUIDADO COM A UTILIZAÇÃO PARA FINS TERAPÊUTICOS Caso se pretenda utilizar como tratamento, é necessária uma avaliação médica. Os profissionais saberão julgar as indicações fitoterápicas mais adequadas, se houver.

  1. Evite usá-lo como substituto da água Beber infusões de ervas deve ser uma prática única: você toma uma xícara e pronto. Você não deve beber chá o dia todo – seja uma única erva ou uma variedade – porque o chá não é um substituto para a água potável. “Você não pode se hidratar com chá porque muitos chás são diuréticos, o que significa que aumentam a quantidade de urina liberada e eventualmente levam à desidratação”.
  2. Não tome chá para perder peso A perda de peso saudável não é alcançada com chás de ervas ou cápsulas. “Temos uma maneira natural de desintoxicar e não há nada como ‘beba este suco ou chá, é uma desintoxicação’. Seus rins e fígado são o que você desintoxica. .
  1. Cuidado com os ‘superalimentos’ Alguns alimentos são tão populares pela promessa que trazem que acabam ganhando o título de ‘superalimento’. É o caso do hibisco, açafrão, maca peruana e outras substâncias vendidas em forma de infusão e cápsula. Para Jacob, do ponto de vista nutricional, priorizar um único alimento vai contra a diversidade que uma alimentação saudável deve seguir.
  2. Não beba ervas sem saber sua procedência Tudo que se compra e não há um controle de qualidade se torna um risco, pois pode haver contaminantes. Ao comprar ervas na feira ou em supermercados, é importante observar se estão higienizadas.
  3. Não ferva as ervas por muito tempo As infusões devem ser preparadas com água quente, mas não mantendo a erva na fervura por muito tempo. Isso permite aproveitar integralmente as propriedades da planta. Também deve-se evitar que a bebida permaneça da chaleira, jarra ou copo prolongadamente: isso faz com que tenha uma concentração muito maior dos compostos químicos e o líquido também pode se tornar uma fonte de contaminação com microrganismos como fungos e bactérias.