Como Saber a Hora de Tomar Homeopatia.

Há diversas formas de se usar os Medicamentos Homeopáticos. Em geral:

1. Medicamentos para serem ingeridos em jejum: deve-se colocar o medicamento na boca ao acordar e antes de escovar os dentes. Se forem sólidos, podem ser colocados diretamente na boca e deixados dissolver naturalmente. Se forem líquidos, podem ser utilizados diretamente ou diluídos em um pouco de água.

2. Medicamentos para serem utilizados ao deitar: escova-se os dentes antes de ir dormir, aguarda-se 30 minutos e utiliza-se os medicamentos colocando-os diretamente na boca ou dissolvidos em água.

3. Medicamentos para seres utilizados ao longo do dia: você deve resguardar 30 minutos antes de tomar o medicamento e 30 minutos depois sem ingerir nada, exceto água. Por exemplo, se você vai tomar 5 glóbulos as 9h da manhã, de 8h30 até 9h30 você deve ingerir apenas água e nada mais (alimentos, sucos, balas, etc). Com isso, o rendimento terapêutico do seu medicamento é maximizado.

4. Se o medicamento é prescrito para ser utilizado três vezes ao dia, procure dividir o horário da melhor forma possível e utilizar os medicamentos neste horário. Por exemplo, pode-se tomar as 09:00, 15:00 e 21:00 horas com 30 minutos antes e depois sem ingestão de nada diferente de água.

Como escolher um médico homeopata?

Depende da sua necessidade. Em Homeopatia existem duas grandes escolas: os Unicistas e os Organicistas

Os Organicistas podem se subdividir em:

1. Alternistas – médicos homeopatas que adotam o critério de prescrever diversos medicamentos que vão sendo ingeridos alternadamente.

2. Complexistas – médicos homeopatas que utilizam diversos medicamentos simultaneamente em formulações com dez ou mais substâncias diferentes.

3. Pluralistas – médicos homeopatas que utilizam não só medicamentos homeopáticos, mas também fitoterápicos e florais.

4. Neo-hipocráticos – médicos homeopatas que utilizam medicamentos homeopáticos e alopáticos simultaneamente.

Já os Unicistas são médicos homeopatas que utilizam apenas um medicamento de cada vez, substituindo-o apenas quando um outro medicamento reúne maior quantidade de sintomas físicos e mentais que o anteriormente empregado, durante o curso da terapêutica.