Glaucoma Atinge 1,1 Milhão de Brasileiros.

Sintomas podem surgir apenas em estágio avançado da doença, veja como prevenir.

Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a partir do portal Diário do Estado, 1,1 milhão de cidadãos do Brasil possuem glaucoma, uma doença que pode causar cegueira. “Se olhar a população brasileira com mais de 50 anos, 2% vão ter glaucoma. Na população acima dos 80 anos, 10% têm a doença. Grande parte dos pacientes são idosos. Existem fatores de risco: pessoas negras têm maior incidência de glaucoma e a hereditariedade também influencia”, explica o oftalmologista, professor e diretor do Centro de Referência em Oftalmologia (CEROF) da Universidade Federal de Goiás.

O especialista ainda aponta que grande parte dos quadros apresentam sintomas apenas quando a enfermidade está em estágio avançado e causando malefícios à saúde das pessoas. Além disso, há o glaucoma agudo, menos recorrente e que causa um grande nível de dor. Mas, no geral, o quadro não apresenta muitos sinais. “O glaucoma é uma doença silenciosa e traiçoeira. É como um ratinho comendo queijo. Come pelas beiradas, depois vai para o centro. O sintoma vai vir quando a doença já atingiu o centro”, acrescenta.

A enfermidade não deve ser diagnosticada no momento de chegada dos sintomas, mas sim por meio de estratégias de prevenção. “A única forma de prevenir é fazendo exame precoce”, diz o especialista, aconselhando, essencialmente, a população do Brasil que está vivendo por mais tempo. Para que o glaucoma seja identificado, são realizados dois pontos: exame de fundo de olho e a medição da pressão ocular. O controle do glaucoma pode ser realizado por colírio ou cirurgia, em casos mais sérios. “A primeira opção são os colírios. Existem vários, com diferentes formas de atuação. Eles abaixam a pressão do olho e, por isso, controlam o glaucoma. Em torno de 80% a 85% dos casos são resolvidos com colírio. Nos casos em que não funciona, o próximo passo é cirurgia a laser não invasiva. Existe ainda um implante, que cria uma nova maneira de o líquido ser drenado dentro do olho, diminuindo a pressão intraocular”, finaliza.