Viagra – Conheça riscos e alternativas

Viagra – Conheça riscos e alternativas

A famosa pílula azul pode até garantir um tempo maior de ereção nos primeiros usos, mas em troca acarreta uma série de reações que podem ser muito perigosas para a saúde. É necessária orientação médica para usar o Viagra.

Como ele age?

O Viagra contém uma substância chamada sildenafil, em doses que variam de 25 a 100 mg por comprimido.

Geralmente a embalagem é comercializada com duas ou quatro pílulas, que começam a fazer efeito cerca de 30 minutos após a ingestão. A ereção acontece porque o sildenafil contribui para o aporte de sangue na região do pênis.

Principalmente por causa da idade, os vasos sanguíneos tendem a ficarem mais estreitos. O Viagra inibe um pouco este efeito, facilitando a circulação sanguínea no pênis, possibilitando a ereção por até 8 horas.

Quais as suas consequências?

Viagra – Conheça riscos e alternativas

O uso da pílula azul está relacionado a uma série de efeitos colaterais negativos para a saúde, como:

  • Problemas no coração;
  • Vermelhidão na pele;
  • Dores de cabeça;
  • Priapismo ou ereção dolorosa;
  • Visão turva;
  • Sensibilidade aumentada à luz;
  • Palpitações;
  • Vômitos.

Além disso, o Viagra está relacionado a um agravamento da disfunção erétil, porque seu uso contínuo pode levar a um quadro de dependência da substância sidenafil, fazendo com que o pênis só fique ereto com o auxílio do medicamento.

Muitas causas podem estar relacionadas à dificuldade de manter uma ereção, desde a ansiedade e a depressão até o estreitamento dos vasos sanguíneos do pênis. A boa notícia é que a maioria desses fatores pode ser amenizada com tratamentos mais saudáveis.

EXISTEM SOLUÇÕES MELHORES QUE O VIAGRA?

Exercícios físicos

Existem alguns exercícios físicos específicos que contribuem para a circulação da região peniana e para a manutenção de uma ereção.

Um deles é o exercício de Kegel. Basta fazer um movimento como se estivesse interrompendo o jato de urina. Mantenha o pênis dessa forma por alguns segundos, solte e repita o processo mais algumas vezes. Faça várias sessões ao dia.

Esse exercício funciona porque fortalece o músculo pélvico, importantíssimo na dinâmica da ereção. Atenção: não é indicado interromper a urina de verdade devido ao risco de desenvolver infecções, apenas faça o mesmo movimento.

Terapia

A terapia pode ser um tratamento muito útil.

Especialistas conseguem identificar as raízes da falta de libido e oferecem suporte profissional, além de auxiliarem na melhora da relação com sua parceira ou parceiro.

Injeção peniana

O tratamento com injeção peniana consiste em algumas aplicações de substâncias que estimulam a circulação sanguínea diretamente no pênis. Essas aplicações devem acontecer alguns minutos antes da relação sexual.

Caneta peniana

Uma opção para o tratamento da disfunção erétil é o uso da caneta de Alprostadil, oferecido pela Androtech. Ela tem o mesmo composto que tem na injeção peniana, mas a forma de aplicação é diferente.

Esse é um tratamento eficaz, pois é administrado em creme ou pomada e aplicado com uma caneta Airless Pen (com ponta flexível em silicone). Não causa dor e nem o efeito adverso de uma injeção peniana.

Spray e pastilhas sublinguais

Esse é um dos tratamentos mais inovadores para quem tem dificuldade em manter uma ereção. O spray e a pastilha sublingual agem de formas semelhantes, liberando um medicamento por meio de micropartículas que auxiliam na circulação peniana.

Gel trans dérmico

O gel transdérmico pode ser aplicado diretamente na pele do pênis. O medicamento contido em sua fórmula permeia o tecido cutâneo e atinge a corrente sanguínea.