Tontura na terceira idade – O que causa e como tratar

Tontura na terceira idade – O que causa e como tratar

A tontura é uma das queixas mais comuns a partir dos 65 anos de idade, que é descrita como uma sensação de desequilíbrio e alterações na visão, podendo ser acompanhada de enjoos e vômitos. Quando as tonturas ficam mais frequentes, passa a haver o medo de cair, o que torna a pessoa mais sedentária, com maiores dificuldade para realizar suas atividades do dia a dia, apresentando baixa de autoestima baixa e tendência a se isolar.

Causas de tontura

Tontura na terceira idade – O que causa e como tratar

Veja também:

Acidentes domésticos – O que fazer?

As causas de tontura na terceira idade são muitas, podendo envolver vários sistemas do organismo.

  • Doenças do sistema vestibular: tonturas por alteração de posição do corpo ou da cabeça, doença de Meniere, neurite vestibular;
  • Doenças psiquiátricas: pânico, ansiedade, depressão;
  • Doenças cardiovasculares: arritmias, enxaquecas, infarto;
  • Doenças neurológicas: traumatismo craniano, parkinson, esclerose múltipla, lesões no cerebelo;
  • Problemas no sistema endócrino como diabetes;
  • Problemas nos músculos, articulações, reflexos e postura;
  • Excesso de remédios como diuréticos e beta-bloqueadores;
  • Alterações da visão: glaucoma, degeneração macular, retinopatia por diabetes.

Outras causas também podem ser referidas como tensão baixa, traumatismos da artéria vertebral, doenças da tireoide, AIDS e labirintite.

Tratamento para tontura

O tratamento é complicado devido às muitas possibilidades de diagnóstico, portanto só deve ser iniciado após terem sido definidas as causas corretas. Dentre as condutas e orientações gerais, se destacam:

  • Tratar a doença de base;
  • Usar medicamentos para controle dos sintomas vestibulares;
  • Consultas periódicas com médico geriatra para evitar excesso de remédios;
  • Ter cuidado ao se levantar da cama ou cadeira;
  • Em casos de déficit na visão, ver indicação de lentes ou óculos;
  • Adaptação da casa para evitar as quedas.

É importante frisar que os idosos com tonturas, após o diagnóstico definido, precisam de  um programa de exercícios individualizados, realizados em ambiente seguro e acompanhado por um fisioterapeuta. Os objetivos da reabilitação serão o fortalecimento muscular, melhora do equilíbrio, recuperação das funções perdidas e treino das atividades do dia a dia, devolvendo assim mais qualidade de vida ao indivíduo com tonturas.