Conheçamos 3 tipos de estresse que afetam nosso corpo

Conheçamos 3 tipos de estresse que afetam nosso corpo

O estresse não é necessariamente uma coisa ruim. Se o nosso corpo não tivesse nenhum tipo de habilidade para resistir ao estresse, provavelmente não teríamos evoluído e sobrevivido enquanto espécie. Nossos ancestrais, por exemplo, usavam os primeiros sinais do estresse como sinal de alerta para o perigo de um ataque de animais.

Quando somos expostos a atividades estressoras, como por exemplo, o trabalho, uma atividade física, situações como a chegada de um novo filho, casamento, mudança de emprego, etc. Nosso corpo reage, produzindo uma mistura complexa de hormônios e produtos químicos como a adrenalina, cortisol, e norepinefrina (também conhecida como noradrelalina). Essa produção ocorre justamente para preparar o corpo para uma reação física. Se eu precisar fugir, esses hormônios ajudarão a desviar sangue para os músculos, por exemplo. O problema acontece quando entramos em estado de estresse em situações inadequadas e por tempo prolongado. Os níveis elevados de cortisol levam ao aumento dos níveis de açúcar, da pressão sanguínea e redução da libido.

Tipos de estresse

Conheçamos 3 tipos de estresse que afetam nosso corpo

Agudo

É a forma mais comum de estresse. É a reação do organismo diante de um novo desafio. Pode acontecer diante de notícias inesperadas como a chegada de um novo filho, o recebimento de uma notícia ruim ou uma briga. Normalmente são episódios isolados que não tem efeito persistente no organismo. Embora haja um risco de desenvolver um quadro psiquiátrico chamado de transtorno de estresse pós-traumático. O estresse agudo pode ser considerado saudável, pois ensina nosso organismo a reagir em situações estressantes futuras.

Agudo episódico

Acontece quando o estresse agudo ocorre com frequência. Como aquelas pessoas que parecem ter crises nervosas todos os dias. Elas estão submetendo o próprio corpo ao estresse agudo episódico. Ter um ar mais pessimista, ver sempre o lado negativo das coisas, achar que serão as próximas a serem demitidas. A preocupação excessiva é uma grande vilã. O efeito para saúde é muito nocivo, pois em geral essas pessoas aceitam o estresse como parte da vida e acabam desenvolvendo quadros de gastrite, úlcera e outras doenças.

Crônico

É o estresse persistente, que se prolonga por grandes períodos de tempo. Em geral são decorrentes de experiências traumáticas na primeira infância, que são internalizadas e permanecem dolorosas e presentes. No estresse crônico as pessoas se acostumam com ele, como se fizesse parte de quem elas são.

Sinais de estresse

Cognitivos

  • Problemas de memória, esquecimentos das atividades que precisavam ser feitas;
  • Dificuldade de manter-se concentrado;
  • Problemas de memória ;
  • Agitação, inquietação e pensamentos acelerados;
  • Preocupação excessiva e constante;
  • Pessimismo, visão distorcida da realidade.

Físicos

  • Dor de cabeça constante, enxaqueca, dores musculares e tensão nos ombros;
  • Alterações no sistema gastrointestinal, diarreia, constipação, mal estar no abdômen, azia, queimação no estômago, etc.;
  • Náuseas e/ou tonturas;
  • Dores no peito, batimento cardíaco acelerado;
  • Queda na imunidade;
  • Estar sempre cansado;
  • Perda de libido.

Emocionais

  • Alterações no humor;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade para relaxar;
  • Sensação de sobrecarga;
  • Sentimento de solidão/isolamento;
  • Infelicidade/choro fácil/depressão.