Temperatura corporal do idoso é diferente e requer atenção

Temperatura corporal do idoso é diferente e requer atenção

O assunto Temperatura corporal na terceira idade vem sido alvo de maior atenção no meio científico, pois pode existir uma má interpretação na leitura que se faz para este público específico.

As pessoas na terceira idade tendem a apresentar temperaturas corporais menores do que adultos jovens. Isto gera, segundo o estudo “Febre em idosos”, de Milton Luiz Gorzoni em parceria com outros pesquisadores, dificuldades para definir qual a variação da temperatura basal (aquela medida no momento que a pessoa acorda) e a quantificação de febre no idoso.

De acordo com o estudo, o ideal seria que todo idoso tivesse sua temperatura matinal verificada semanal ou mensalmente. Pois existe uma predisposição, relacionada ao envelhecimento, para síndromes com temperaturas atípicas como infecções afebris e hipotermia.

Veja também:

Principais doenças da terceira idade

Interferências na temperatura corporal

O estudo ainda mostra que, juntamente com o envelhecimento, existem outros fatores associadas à redução da temperatura basal, como diabetes mellitus, doenças neurológicas, desnutrição, sarcopenia, imobilidade e medicamentos.
Segundo os autores, outro problema relacionado ao avanço da idade diz respeito às técnicas de medida da temperatura corporal, que podem sofrer interferências de situações e doenças comuns em idosos. “A xerostomia (conhecida como boca seca), falhas de dentição, respiração pela boca e principalmente estados confusionais dificultam o posicionamento de termômetros na cavidade bucal”, exemplificam.

De acordo com a pesquisa, potenciais interferências na aferição da temperatura corporal na região axilar como dobras de pele, volume da massa muscular e da adiposa, distúrbios circulatórios e temperatura ambiental. “Contudo, pela tradição e praticidade, a região axilar é o local mais aceito e utilizado na prática clínica brasileira”, explicam.

Temperatura corporal na terceira idade

De acordo com o estudo, a temperatura das axilas, normalmente, de um adulto jovem aos 20 anos é de 36,8°C. Já em um idoso de 70 anos, é de 36,05°C. Diante disso, os pesquisadores esclarecem que a detecção de estados febris em idosos se dá com temperaturas inferiores às definidas como febre em adultos jovens.