11 sinais que podem indicar diabetes

11 sinais que podem indicar diabetes

Estima-se que 442 milhões de pessoas sofram de diabetes ao redor do mundo. Se todos os pacientes com a doença formassem um país, ele teria uma população com quase o dobro da que tem o Brasil, a quinta nação mais populosa do mundo. Sendo considerada epidemia mundial, a enfermidade está relacionada ao envelhecimento da população, ao sedentarismo, a dietas pouco saudáveis e ao aumento da obesidade. 

11 sinais que indicam diabetes:

11 sinais que podem indicar diabetes
  1. Sede excessiva;
  2. Vontade de urinar com frequência;
  3. Cansaço sem motivos ou exageradamente fora do comum;
  4. Aumento de apetite;
  5. Rápida perda de peso;
  6. Dificuldade de concentração;
  7. Cãibras;
  8. Dores nas pernas;
  9. Visão embaçada;
  10. Ferimentos e dificuldade de cicatrização;
  11. Náuseas ou vômito.

O que é diabetes?


Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) , o diabetes mellitus é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. Insulina é o hormônio capaz de controlar a quantidade de glicose no sangue. Ela é útil para o organismo por conta da glicose, proveniente dos alimentos que cada um ingere, como fonte de energia.

No caso dos diabéticos, o organismo deixa de fabricar esse hormônio e não consegue utilizar a glicose da maneira correta. Assim, o nível de glicose no sangue fica alto, provocando a hiperglicemia. Ao persistir por muito tempo, essa situação pode causar danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Quais são os tipos de diabetes?

Tipo 1

Na diabete tipo 1, comum em 5% a 10% do total de diabéticos, o sistema imunológico acaba atacando as células beta e bloqueando a liberação de insulina para o corpo. Assim, a glicose fica no sangue e não é usada para nenhum dos fins.

Tipo 2

Esse tipo de diabete é muito mais comum, e atinge 90% das pessoas que têm a condição, normalmente adultos. Acontece quando o organismo não consegue usar a quantidade ideal de insulina produzida ou então, não produz quantia suficiente para controlar a taxa de glicemia.