Sal light pode ser pior que o comum

Sal light pode ser pior que o comum

Já sabemos que o excesso de sal pode ser prejudicial ao organismo, por causa do sódio que ele contém, entre outros malefícios. Isso acontece pois o sódio, que é muito importante para o nosso corpo, pois age no equilíbrio de diversos processos internos, quando consumido em demasia acarreta sérios riscos. O sal light pode ser uma saída.

Uma quantidade elevada de sódio faz com que nosso corpo acumule líquidos que, presentes em quantidade maior que a normal em nossa corrente sanguínea, faz com que a pressão arterial aumente, pois o coração precisa de uma força maior que o normal para fazer circular o sangue. Essa situação instalada por bastante tempo é o principal causador da hipertensão, podendo levar ao infarto e até um AVC – Acidente Vascular Cerebral.

O Sal Light e o totalmente sem sódio

O sal light – já conhecido por conter 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio – tem sido visto com bons olhos por ser uma maneira de diminuir a ingestão do temido sódio em excesso no dia a dia. Além dele há também um salgante totalmente ausente de sódio que vem encontrando espaço. Porém, especialistas alertam que embora seja uma forma de driblar o consumo deste elemento em quantidades inseguras, também não é isento de riscos.

Grupo de risco

Especificamente para o grupo de pessoas hipertensas ou com insuficiência cardíaca que usam remédios poupadores de potássio, substituir o sódio pelo salgante com potássio pode ser muito perigoso. O perigo vem porque há um aumento da ingestão de potássio e o excesso desse mineral provoca arritmias cardíacas, podendo levar até mesmo à morte. Além dos que usam remédios poupadores de potássio que devem ficar longe desse tipo de sal, os portadores de insuficiência renal ou outro problema no rim também precisam manter distância do tempero.

O melhor caminho

Diminuir ao máximo o consumo de produtos industrializados e preferir alimentos frescos e naturais é a forma mais segura de controlar os níveis de sódio no organismo. Manter uma rotina que inclua atividades físicas e consultar o médico regularmente também são posturas importantes.