O verdadeiro amor

O verdadeiro amor

Há acepção de pessoas para o cristão no amor? Sabemos do dever de amar que todo cristão tem, a bíblia não coloca o amor como uma simples escolha, mas como uma obrigação “Aquele que diz estar na luz e odeia seu irmão, até agora, está nas trevas” (2João 2.9). Mas a pergunta é: que tipo de amor é esse? Há diferença entre o amor ensinado pelo mundo e o amor ensinado por Cristo? SIM, HÁ DIFERENÇA! Veja:


Mateus 5

43 Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo.

44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;

45 para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.

46 Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo?

47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo?

48 Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.


Ora, no versículo 43 Jesus inicia falando acerca de um amor que o mundo na sua época ensinava: ame seu amigo, mas quanto ao seu inimigo, odeie! Da mesma forma hoje o amor pregado e vivido continua sendo esse modelo “se é seu inimigo, não merece seu amor; merece ódio e tudo que há de pior você deve deseja-lo”. Jesus vai ensinar um outro tipo de amor “amai os vossos inimigos…” em Lucas essa mesma passagem é relatada da seguinte maneira: amai vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam, abençoai aos que vos amaldiçoam, orai pelos que vos acusam falsamente (Lc 6.27,28).

Um amor difícil, mas necessário

É esse amor que nos faz filhos de Deus e também nos diferencia do mundo, viver esse pleno amor encontrado na vida de Jesus faz do cristão um exemplo a ser observado pelas pessoas do mundo. Vimos o caso que viralizou na internet em que um jovem no Rio de Janeiro, acusado de assalto, foi amarrado nu ao poste e espancado por pessoas, outro caso na cidade de Serra-ES o jovem foi espancado até a morte. Jesus não apenas pregou um amor aos inimigos, mas também viveu esse amor na prática não querendo a destruição dos samaritanos (maiores inimigos dos judeus) em Lucas 9:51-56  e repreendendo Tiago e João que queriam matá-los

Não consigo enxergar um cristão vivendo o amor que Cristo ensinou e praticando tal ato de espancar alguém por mais inimigo que o consideramos, tampouco apoiando quem pratica; de fato, sabemos que é difícil amar pessoas que praticam crimes, mas qual dificuldade em chamar a polícia e deixar que as leis sejam cumpridas? Que diferença existirá entre os cristãos e os pecadores deste mundo se praticarmos o mesmo amor limitado, incompleto e mundano pregado e vivido pela sociedade?

Cristo nos ensina um modelo de amor completo, inteiramente renovador e salvador de vidas; esse amor, se praticado com toda dedicação, fará a sociedade enxergar em nós uma vida diferenciada baseada em Cristo, pois esse amor é a principal característica do cristão. Portanto, ame, muitas vezes pessoas difíceis e até inimigos, mas ame. O amor é a maior revelação de Jesus em nossas vidas.