Implante capilar – Conheça os métodos, com seus prós e contras

Implante capilar – Conheça os métodos, com seus prós e contras

O implante ou transplante capilar é feito a partir de um procedimento cirúrgico em que fios de cabelos naturais removidos da área doadora do paciente são inseridos na região em que o cabelo é escasso, área conhecida como receptora.

Tipos de implante capilar

Implante capilar – Conheça os métodos, com seus prós e contras

1. FUE Motorizado

O implante capilar por meio da técnica FUE é praticado desde 2003. A sigla FUE se origina na expressão em inglês “Follicular Unit Extraction” que significa extração folicular unitária. Esse é um dos tratamentos mais avançados atualmente para o implante capilar.

A técnica consiste basicamente em extrair cabelos de um folículo capilar já existente e implantar em um novo local.

Na técnica de FUE motorizado, os fios são coletados um a um com a ajuda de um motor que é manuseado por equipe especializada. Para coletar os fios da área doadora, é feita uma pequena incisão circular no couro cabeludo ao redor do folículo capilar. Os folículos capilares removidos contêm de 1 a 4 cabelos. O motor é responsável por fazer um furo com uma agulha micro cirúrgica onde os enxertos serão implantados.

As principais vantagens de escolher esse tipo de implante são:

  • Menor tempo para cicatrização;
  • Cicatrizes pouco visíveis;
  • Pós-cirúrgico indolor;
  • Recuperação rápida de no máximo 7 dias;
  • Resultados permanentes.

As desvantagens do método incluem:

  • Eventual necessidade de várias sessões;
  • Necessidade de raspar o cabelo bem curto;
  • Procedimento longo para grandes áreas de implante.

2. FUE Robótico

O FUE robótico é exatamente o mesmo. No entanto, nesse caso um robô retira os enxertos fio a fio sem deixar cicatrizes e sem a necessidade de nenhum tipo de ponto. Na prática, os tipos de implante capilar FUE motorizado e o FUE robótico são a mesma coisa, mas o FUE robótico é mais aprimorado.

As vantagens desse método são:

  • Ótima precisão;
  • Menor tempo de procedimento;
  • Sem necessidade de pontos;
  • Tempo rápido de recuperação;
  • Técnica moderna.

Dentre as desvantagens, podemos citar:

  • Alto custo;
  • Necessidade de raspar o cabelo bem curto para a remoção ser eficaz.

3. FUT

O FUT, do inglês Follicular Unit Transplantation, é um método tradicional de transplante de cabelo criado em 1988 no Texas nos EUA que consiste na remoção de uma tira linear de folículos capilares da área doadora. Normalmente, essa área doadora é a região na nuca ou da lateral do couro cabeludo.

Essa tira é então dissecada para separar os enxertos individualmente com o auxílio de um microscópio para serem implantados fio a fio na área receptora.

As vantagens desse método são:

  • Única sessão ou pouquíssimas sessões mesmo em casos de calvície avançada;
  • Pessoas com maior área de calvície precisam de menos sessões em relação ao FUE;
  • Média de 2.300 enxertos implantados por sessão, podendo chegar até 4 mil;
  • Resultados podem ser melhores do que no FUE.

As desvantagens incluem:

  • Sessão longa de 8 a 10 horas de duração;
  • Remoção de pontos após o procedimento;
  • Cicatriz linear definitiva na área doadora que fica visível se o cabelo estiver com menos de 2 milímetros de espessura.

4. Transplante de cabelo com fio longo

Também conhecido como Preview Long Hair, o transplante de cabelo com fio longo é uma técnica desenvolvida no Brasil em 2006 pelo cirurgião Marcelo Pitchon que usa folículos capilares sem cortar os fios do cabelo. Trata-se de uma variação dos tipos de implante capilar mencionados anteriormente em que o cabelo não é raspado.

Essa abordagem evita a necessidade de raspar o cabelo para realizar o implante, o que é muito interessante para mulheres com problemas de calvície, já que os fios transplantados permanecem na cabeça por cerca de 1 mês e começam a cair gradativamente. Além disso, o paciente não se incomoda tanto com as pequenas cicatrizes, já que elas não ficam visíveis. Os fios definitivos começam a crescer em cerca de 4 meses após o procedimento.

A vantagem dessa técnica é que o cirurgião consegue ter uma visão de como ficará o resultado final e fazer os ajustes necessários durante o procedimento.

5. Técnica Híbrida: FUE Motorizado e Robótico

Essa técnica é uma combinação de dois métodos. Trata-se de uma combinação de FUE motorizado com FUE robótico que permite a remoção e implante de cerca de 5 mil folículos capilares em uma única sessão.

Isso corresponde ao implante de até 15 mil fios por sessão e é ótimo para pessoas com problemas sérios de calvície.

6. Método de implantação DHI

Nessa técnica, a remoção dos folículos capilares e a implantação do enxerto são feitas simultaneamente com o uso de uma caneta de implante que contém uma espécie de agulha oca na ponta.

Assim que o folículo capilar é removido da área doadora, ele é colocado dentro da agulha oca e implantado na área receptora através de um sistema de êmbolo, como se fosse uma seringa. Várias “canetas” podem ser usadas ao mesmo tempo após a aplicação de uma anestesia local na região do couro cabeludo.

As vantagens do método DHI são:

  • Enxertos ficam pouco tempo fora do corpo, o que permite uma melhor taxa de sucesso de implante;
  • Redução do sangramento durante o implante;
  • Recuperação rápida;
  • Não há necessidade de raspar o cabelo.

As desvantagens da técnica em relação ao método FUE são:

  • Treinamento longo para que cirurgiões aprendam a usar o dispositivo;
  • Alto custo;
  • Atenção e precisão extra são requeridas durante a cirurgia;
  • Versões mais antigas da caneta são úteis apenas para cabelos grossos e lisos, o que limita o uso da técnica por pessoas com cabelo encaracolado ou mais fino.