Fast Food – 8 motivos para não comer

Fast Food – 8 motivos para não comer

Quem tem o hábito de comer fast food, precisa considerar os efeitos a curto e longo prazo que eles podem causar para a saúde. Eles causam diversos riscos ocultos e efeitos colaterais para o funcionamento do corpo. Não consumir fast food é uma forma de proteger o organismo. 

Motivos para não Consumir Fast Food

Fast Food – 8 motivos para não comer

Carne adulterada

Um dos motivos para não consumir fast food vem dos testes de qualidade, que apontam que as carnes usadas no preparo desse tipo de alimento não são boas para consumo.

Em geral, o frango de fast food tem cerca de ¼ a menos de proteína do que a galinha caseira. A carne também apresenta níveis de sódio de sete a 10 vezes maiores do que seria em um pedaço de frango não adulterado. Um relatório de 2013 publicado no The American Journal of Medicine; revelou que os nuggets de frango são compostos principalmente por gordura, juntamente com alguns ossos, nervos e tecido conjuntivo.

Antibióticos

Além de não ser carne de verdade, ao comer fast food também se consomem resíduos de drogas. A maioria das redes de fast food recebe uma classificação ruim em relação ao uso de antibióticos. No fim, o que poderia ser uma fonte de proteína saudável, causa efeitos negativos indesejados. Comer carnes de fast food realmente vem com alguns grandes riscos para à saúde.

Câncer

Comer fast food como batatas fritas também pode aumentar o risco de câncer. Elas contêm acrilamida. O National Cancer Institute sugere que a exposição à acrilamida aumenta o risco de vários tipos de câncer.

As embalagens

De acordo com um estudo de 2017 que apareceu na Environmental Science & Technology Letters, a embalagem de fast food contém substâncias químicas nocivas para a saúde humana.  Uma das piores substâncias químicas encontrada é o polifluoroalquilo, conhecido coletivamente como PFASs; que são descritos como produtos químicos e sintéticos altamente persistentes, alguns dos quais têm sido associados com câncer, toxicidade, imunotoxicidade e outros efeitos para a saúde. Estudos encontraram produtos químicos das embalagens presentes nos alimentos.

Adoçantes

Entre os ingredientes utilizados pelos fast food está o xarope de milho e adoçantes artificiais. O xarope de milho aumenta problemas de saúde, incluindo a obesidade, diabetes, hipertensão e doença cardíaca crônica.

Ao mesmo tempo, adoçantes como aspartame, sucralose e sacarina estão ligados ao ganho de peso, dores de cabeça, diabetes tipo 2, doença cardiovascular, entre outros. Os adoçantes são encontrados em lugares inusitados, incluindo molho de salada e pães de hambúrguer.

Molhos que causam enxaqueca

O MSG (glutamato monossódico) é comum em comida chinesa, mas se esconde também em muitas opções de fast food. Ele é um dos ingredientes que se deve evitar, é adicionado aos alimentos para melhorar o seu sabor. Reações comuns a MSG incluem dores de cabeça, náuseas e fraqueza. Os consumidores de MSG também experimentam, por vezes, dificuldade para respirar, alterações do ritmo cardíaco e sensações de queimação.

Corantes e conservantes alimentares

Nos fast food’s há corantes alimentares, que possuem efeitos colaterais negativos para a saúde. Numerosos estudos ligam corantes e conservantes artificiais com a hiperatividade (TDAH) em crianças.

Óleos inflamatórios

Um dos motivos para não consumir fast food, é pelos ingredientes usados no preparo e produção desses alimentos, como: óleo hidrogenado e inflamatório. Referindo-se a óleos refinados, como óleo de canola, parcialmente hidrogenado. Mais de 90% de óleo de canola é geneticamente modificado. Óleo de Milho e soja são outros óleos altamente refinados, que estão em alta demanda na indústria do fast food.