Diabetes – 8 tipos de chá que ajudam a reduzir sintomas

Diabetes – 8 tipos de chá que ajudam a reduzir sintomas

De acordo com dados divulgados em 2016 pela Organização Mundial da Saúde, mais de 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes – em especial a do tipo 2.

Há alguns tipos de chá para diabetes que, se não curam a doença, pelo menos ajudam a reduzir os sintomas e os riscos associados à condição. Nunca é demais lembrar que, embora seja uma doença aparentemente silenciosa, a diabetes pode ser fatal: apenas no Brasil, são mais de 100 mil mortes ao ano causadas pelo excesso de glicose no sangue.

Tipos de chá para diabetes

Diabetes – 8 tipos de chá que ajudam a reduzir sintomas

1. Chá Verde

Com alto teor de compostos antioxidantes, o chá verde é certamente um dos melhores tipos de chá para diabetes que existem. Inúmeros estudos comprovam que o chá preparado a partir das folhas secas e não fermentadas da Camellia sinensis pode ajudar no controle da glicemia.

Entre outros benefícios, o chá verde ajuda a retardar a conversão dos carboidratos provenientes de alimentos ricos em amido (como o pão e a batata, por exemplo) em glicose.

Para ser digerido, o amido necessita da amilase, uma enzima que “quebra” os carboidratos em açúcares simples – que podem de fato ser absorvidos na circulação.

Os polifenois do chá verde inibem a amilase (um estudo demonstrou que o extrato de chá verde foi responsável por uma redução de 87% na atividade da enzima). Como resultado, menos açúcar atinge a corrente sanguínea, e menor será o impacto na glicemia.

Mas essa não é a única maneira pela qual o chá verde beneficia os portadores de diabetes. Cientistas têm observado que a epigalocatequina 3-galato (EGCG), um fitonutriente da família dos polifenois encontrado naturalmente no chá verde, pode inibir a síntese de glicose no fígado.

Em uma pesquisa norte-americana publicada na revista Molecular Nutrition & Food Research, roedores foram inicialmente submetidos a uma dieta rica em amido de milho.

Posteriormente, parte dos animais foi alimentada com epigalocatequina 3-galato. Ao final do estudo, pesquisadores constataram que os animais que haviam recebido EGCG apresentavam um valor de glicemia pós-prandial (teor de açúcar no sangue após uma refeição) 50% menor do que os roedores que não receberam o composto.

Em outro trabalho científico, desenvolvido desta vez no Japão, pesquisadores observaram que pessoas que tinham o hábito de tomar seis ou mais xícaras de chá verde por dia apresentavam um risco 33% menor de desenvolver diabetes do tipo 2 em comparação a quem tomava menos de uma xícara por semana.

Por fim, de acordo com o Centro Médico da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, o chá verde pode reduzir os valores de hemoglobina glicada em pessoas com pré-diabetes.

Para um melhor controle da glicemia, o melhor horário para tomar chá verde é durante ou imediatamente após as refeições – sobretudo aquelas com maior teor de carboidratos.

2. Chá de Camomila

Além de ter propriedades calmantes e digestivas, a camomila também pode ser utilizada para controlar a diabetes.

Segundo um estudo publicado em 2008 no Journal of Agricultural and Food Chemistry, a planta medicinal pode reduzir a taxa de glicose na circulação e aumentar o estoque de açúcar na forma de glicogênio no fígado.

Esse efeito da camomila ajuda a prevenir a hiperglicemia, que é exatamente o aumento da concentração de glicose no sangue.

Outro benefício deste chá para diabetes é que, de acordo com uma pesquisa divulgada no Journal of Natural Medicines, a planta protege as células beta do pâncreas contra o estresse oxidativo causado pela hiperglicemia (a constante elevação do açúcar no sangue danifica as estruturas responsáveis pela produção de insulina).

3. Chá de Pata-de-Vaca

As folhas da Bauhinia forficata são utilizadas há décadas na medicina popular brasileira para o tratamento da hiperglicemia.

Pesquisadores nacionais estudam a planta conhecida como insulina vegetal desde meados do século passado, e já conseguiram comprovar em laboratório alguns dos benefícios da pata-de-vaca na redução da glicemia.

Dois estudos in vivo publicados em 2002 demonstraram que ratos diabéticos submetidos ao tratamento com a erva medicinal apresentaram uma redução significativa na concentração de glicose no sangue e na urina.

Esses resultados devem-se à ação de fitoquímicos como astragalina, bauhinosida, beta-sisterol, flavonoides, glicosídeos, guanidina, heteroglicosídeos, kaempferitrina e saponinas.

Ainda não se sabe com certeza como funciona o mecanismo por trás da atividade hipoglicemiante da pata-de-vaca, mas pesquisadores da UNESP (autores de um dos estudos citados acima) acreditam que a planta iniba a neoglicogênese.

Sendo este processo responsável pela produção de glicose a partir de outros compostos que não os carboidratos, isso significaria que a pata de vaca favorece o controle da glicemia porque reduz a formação de glicose, e não a sua absorção.

De qualquer maneira, ainda que não se conheça exatamente como a pata de vaca funciona para baixar a glicemia, já está comprovado que ela é um ótimo remédio natural contra a diabetes.

Vale ressaltar porém que, como já ocorre com outras plantas de ação tão potente, é necessária orientação médica antes de fazer o uso da pata de vaca em combinação com outros medicamentos para controlar o açúcar no sangue.

4. Bancha

Tipo de chá verde bastante consumido pelos japoneses, o bancha tem ação comprovada na redução da glicemia sanguínea.

Mas nós já não falamos do chá verde como um dos melhores tipos de chá para diabetes?

Na verdade, existe uma sutil diferença entre o bancha e o chá verde. Embora ambos sejam obtidos a partir da infusão da mesma planta, a Canellia sinensis, os dois chás diferem no teor de cafeína.

Isso ocorre porque o bancha é preparado com as folhas mais antigas do arbusto (que naturalmente contêm menos cafeína), enquanto o chá verde utiliza a porção superior da C. sinensis, mais rica em polifenois e cafeína.

5. Chá de Carqueja

Estudos desenvolvidos com animais demonstram que a carqueja, tradicionalmente utilizada para tratar males do fígado, serve também para controlar a diabetes.

O chá de carqueja é indicado para controlar a doença porque contém um alto teor de polifenois, compostos fitoquímicos que inibem a oxidação celular e protegem as funções do fígado.

E, como acabamos de ver acima, um fígado saudável é indispensável para um controle adequado da glicemia sanguínea.

6. Chá de Sálvia

A sálvia (Salvia officinalis) contém um composto conhecido como ácido rosmarínico, que pode atuar no controle da concentração de glicose no sangue.

Em uma pesquisa publicada em 2011 no Molecular Nutrition and Food Research, animais de laboratório receberam chá de sálvia diariamente, durante duas semanas. Como resultado direto do uso da planta, foi observada uma redução nas taxas de glicose em jejum dos roedores.

Além disso, os animais submetidos ao tratamento com sálvia apresentavam menor elevação dos níveis de açúcar no sangue logo após consumirem refeições contendo carboidratos.

Para os autores da pesquisa, a erva medicinal atua diretamente no intestino, interferindo de maneira positiva no mecanismo de absorção da glicose.

Outros estudos indicam que a sálvia estimula a atividade da insulina em diabéticos e também melhora o funcionamento do fígado, inibindo enzimas que podem causar uma queda drástica na glicemia.

7. Chá preto

O chá preto é outro tipo de chá para diabetes produzido a partir das folhas de Camellia sinensis. Pesquisadores descobriram que o chá contém polissacarídeos que inibem a ação da alfaglicosidase e da alfa-amilase, duas enzimas envolvidas na conversão e absorção do amido dos alimentos.

Um estudo publicado em 2012 no periódico Preventive Medicine examinou os efeitos do chá preto sobre a glicemia em adultos saudáveis. Participantes consumiram o chá diariamente durante 12 semanas, após as quais foi constatada uma redução de 18% nas taxas de açúcar no sangue.

O chá também foi responsável por uma diminuição significativa nos valores de triglicérides e colesterol LDL dos voluntários.

Revisões científicas de estudos envolvendo mais de 300.00 pessoas demonstraram que a ingestão de três a quatro xícaras de chá preto ao dia está associada a uma redução de 25% no risco de desenvolver diabetes.

8. Chá de Hibisco

Além de prestar atenção às taxas de colesterol e reduzir os depósitos de gordura abdominal, o chá de hibisco ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue. Em um estudo realizado no México com 222 participantes, pesquisadores observaram que o hibisco auxilia no controle da glicemia e melhora a resistência à insulina, duas condições fundamentais para a prevenção e controle do diabetes