Cuidador de idosos – 4 dicas para fazer uma boa escolha

Cuidador de idosos – 4 dicas para fazer uma boa escolha

A longevidade está aumentando, assim como a população idosa. Segundo projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), até 2020, o Brasil terá 73,5 milhões de pessoas com mais de 60 anos, o equivalente a um terço da população nacional. A expectativa de vida deve chegar aos 84 anos. Embora se esteja vivendo mais, chegar à terceira idade exige uma série de cuidados e até acompanhamento profissional. Um cuidador pode ser uma necessidade.

 Dicas para a contratação de um cuidador de idosos

Cuidador de idosos – 4 dicas para fazer uma boa escolha

1. Conhecer as atribuições do cuidador de idosos

Um cuidador é o profissional que acompanha o idoso por todo o dia e, de acordo com a necessidade de cada família, poderá até dormir no local.

 Ele é responsável, entre outras coisas, por:

  • Acompanhar se os medicamentos estão sendo tomados no horário certo e de acordo com a prescrição;
  • Auxiliar o idoso na hora do banho e em outros momentos de higiene pessoal;
  • Fazer companhia e conversar;
  • Ajudar nas tarefas domésticas;
  • Manter os familiares informados sobre a rotina do idoso;
  • Preparar as refeições e ajudar na alimentação;
  • Contribuir para a melhoria geral da qualidade de vida.

2. Escolher um profissional qualificado

Para saber como escolher cuidador de idosos se deve atentar às capacidades do profissional. Acompanhar uma pessoa é um trabalho delicado e de muita responsabilidade. Um trabalho tão íntimo, exige calma, paciência e carinho. Na hora de contratar, verificar se o profissional possui perfil para esse tipo de trabalho. Orientações durante o processo de entrevistas:

  • Ter mais de 18 anos e ensino fundamental completo; 
  • Portar certificado de cuidador de idosos; 
  • Mesma que não tenha muita experiência, ele deve saber quais são as principais atividades da função e práticas do mercado; 
  • Atentar à postura do candidato durante o processo de seleção. Um bom cuidador deve ser gentil, dedicado e pontual. 

3. Aferir a aceitação desse profissional pelo idoso

Ser acompanhado por um cuidador é, muitas vezes, associado a imagens negativas. É como se o idoso estivesse perdendo a sua capacidade de viver sozinho e realizar pequenas tarefas diárias com independência.

Como a contratação tem mais a ver com a segurança e bem-estar dessa pessoa, deve haver um processo de aceitação, para que se compreenda o quanto estará se beneficiando com esse acompanhamento.

4. Conhecer a legislação dos cuidadores de idosos

Entender a legislação é um passo importante quando se está pensando em como escolher cuidador de idosos. Embora o Código Brasileiro de Ocupação (CBO) defina que o cuidador de idosos deve ter carteira assina com o código 5162-10, que é o da categoria de cuidadores/acompanhantes, quando esse serviço prestado de forma domiciliar, passa a se enquadrar na categoria dos empregados domésticos, e são regidos pela Lei Complementar 150/2015.