Consumo de ovos – 5 benefícios e 1 contraindicação

Consumo de ovos – 5 benefícios e 1 contraindicação

Comer ovos pode ter diversos efeitos benéficos para o organismo, principalmente se preparados da forma correta. Comer todos os dias traz benefícios à saúde. Juntamente com uma alimentação equilibrada pode até trazer vários benefícios para o organismo.

Benefícios importantes no consumo de ovos

Consumo de ovos – 5 benefícios e 1 contraindicação
  1. Aumento da massa muscular, porque é uma boa fonte de proteínas;
  2. Prevenir doenças como câncer, por ser rico em antioxidantes, como triptofano e tirosina;
  3. Diminuir a absorção de colesterol no intestino, por ser rico em lecitina;
  4. Prevenir o envelhecimento precoce, por ser rico em selênio, zinco e vitaminas A e E;
  5. Combater anemia, por conter ferro e ácido fólico;
  6. Proteger a visão, por conter os antioxidantes luteína e zeaxantina;
  7. Manter a saúde dos ossos, por conter cálcio e fósforo;
  8. Ajudar na formação da memória do feto e prevenir câncer de mama, por conter colina.

Geralmente, o ovo só é contraindicado em casos de alergia à albumina, que é a proteína deste alimento, presente na clara.

Mas para ter todos os benefícios, é preciso preparar os ovos de maneiras específicas. Confira alguma delas:

1. Cozinhar no micro-ondas

Uma receita fácil e prática é preparar o ovo no micro-ondas, pois não leva óleo. Para isso, é preciso esquentar um prato fundo no micro-ondas por 1 minuto. Depois, abrir o ovo no prato, temperar e furar a gema, para que ela não estoure. Em seguida, coloca-se tudo no micro-ondas por mais 1 minuto.

2. Ovo pochê

Para fazer a versão pochê deve-se colocar uma panela de água para ferver e quando surgirem às primeiras bolhinhas, mexer a água com uma colher, rodando sempre na mesma direção. Depois, quebrar o ovo cuidadosamente para dentro da panela, deixando o ovo cozinhar assim por cerca de 7 minutos. Por fim, deve-se retirar com o auxílio de uma escumadeira, deixando a água escorrer antes de colocá-lo no prato para servir.

3. Fritar ovo com água

Para evitar o uso de óleo, deve-se colocar o ovo em uma frigideira antiaderente bem aquecida, adicionar 1 colher de sopa de água e tampar a frigideira para que o ovo cozinhe com o vapor.

4. Farofa de ovo

Para cada ovo deve-se utilizar 4 colheres de sopa de farinha de mandioca, 1 colher de sopa de cebola picada e meia colher de sopa de óleo, manteiga ou margarina. Deve-se dourar a cebola na manteiga, acrescer o ovo e quando ele estiver quase cozido, adicionar a farinha aos poucos.

5. Omelete de clara

Para quem não pode comer gemas de ovo em excesso, o ideal é fazer um omelete de claras.

Ingredientes:

  • 3 claras
  • 1 colher de sopa de água ou leite
  • 1 xícara chá de legumes cozidos (tomate, cenoura, brócolis)
  • ¼ de xícara de chá de queijo cottage ou ricota
  • Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo

Em um recipiente, misturar as claras, o leite e os temperos. Colocar em uma frigideira pré aquecida e cozinhar por 2 minutos. Adicionar o recheio de legumes e queijo, ou rechear como preferir, deixando cozinhar até o queijo derreter.

Contraindicação: Ovos crus aumentam risco de infecção intestinal

O ovo cru ou mal passado pode conter a bactéria Salmonela, que causa febre, vômitos e diarreias fortes, sendo ainda mais perigosa nas crianças. Por isso, deve-se evitar o seu consumo mal passado e também os produtos que tem ovos crus como ingredientes, como mousses, maioneses, coberturas e recheios de bolos.

A melhor escolha é consumir o ovo cozido ou frito sem adição de óleo ou manteiga, para não aumentar a quantidade de calorias e de gordura consumida na dieta.