Conheça o Rim Biônico – O fim da hemodiálise

Os rins

O rim tem papel importantíssimo para o bom funcionamento do nosso organismo. Cada um de nós tem 2 rins, com cerca de 150gr cada e estão localizados nas laterais do abdômen, um de cada lado. Um abaixo do fígado e outro do baço.

A função principal dos rins

Nossos rins são parte importante do nosso sistema excretor, ou seja, o sistema que elimina impurezas que estão em nosso organismo. Eles têm, entre outros papéis importantes, a função de filtrar e excretar presenças indesejadas em nosso sangue.

O sangue sai diretamente do coração, circula pelos vasos existentes nos rins quando acontece a filtragem e logo retorna livre das toxinas, para que o coração envie para o restante do corpo. Essas toxinas e o excesso de água do sangue vão para a bexiga, de onde são eliminadas pela urina.

Veja também!

A Super Vitamina! – Entenda a vitamina D

Principais doenças da terceira idade

Hepatite A – como se prevenir?

Conheça o Rim Biônico – O fim da hemodiálise
Paciente em hemodiálise

A hemodiálise

Quando o rim apresenta problemas e passam a não filtrar mais o sangue da maneira correta, podemos contar com um procedimento de filtragem artificial chamado hemodiálise. O sangue passa por uma máquina que realiza a filtragem artificial do sangue, substituindo o trabalho renal.

Se por um lado a hemodiálise retira as impurezas de nosso sangue, viabilizando a continuidade do funcionamento do nosso corpo, por outro causa grandes transtornos à vida, pela dependência da máquina que só existem nos grandes centros, como nos efeitos negativos da utilização deste tipo de tratamento por muito tempo.

Conheça o Rim Biônico – O fim da hemodiálise

O Rim Biônico

A possibilidade de termos um rim novo esbarra nas dificuldades do transplante, pois além da dificuldade de conseguir um órgão compatível em tempo hábil, existe a possibilidade da rejeição.

Diante disso, pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Francisco, nos Estados Unidos, construíram um rim artificial biônico a partir do projeto de William Fissell, com a capacidade de substituir com perfeição as funções renais. De acordo com os desenvolvedores o equipamento tem pouquíssima possibilidade de rejeição por ter sido elaborado a partir de células renais.

Em fase final de testes, tem seu primeiro implante/teste previsto para este ano, embora ainda não aja previsão da chegada ao mercado, com a promessa de libertar de uma vez por todas os dependentes da máquina de hemodiálise.