Chá de Erva-doce – Um dos mais populares do Brasil

Chá de Erva-doce – Um dos mais populares do Brasil

O chá de erva-doce é conhecido por acalmar os ânimos, assim como a camomila. Mas a Erva-doce tem diversas outras utilidades. Diminuir gases, retenção de líquidos, cólicas e problemas no estômago. O nome científico dela é Pimpinella anisum, e pode ser adquirida em lojas de produtos naturais, feiras livres, farmácias de manipulação e mercados.

Algumas situações nas quais a Erva-doce é utilizada

  • Artrite
  • Asma
  • Bronquite
  • Catarro
  • Coriza
  • Dor de Barriga
  • Dor de Cabeça
  • Espasmos
  • Gripe (em estudo)
  • Indigestão
  • Inflamações
  • Palpitações
  • Resfriado
  • Tosse

Benefícios comprovados da Erva-doce

Chá de Erva-doce – Um dos mais populares do Brasil
  • Alívio de cólicas intestinais – graças a seu efeito calmante, erva-doce combate esse desconforto.
  • Diminui o inchaço – acontece por meio do efeito diurético da erva-doce.
  • Reduz distúrbios estomacais – o ácido málico presente na erva melhora a digestão porque fornece hidrogênio em quantidade necessária à acidificação do estômago.
  • Combate aos gases – com a infusão da folha ou semente, é liberado o anetol, substância encontrada na erva-doce e que otimiza a digestão, diminuindo assim a flatulência.

Utilização do Chá de Erva-doce

  • Chá de Erva-doce com Folhas

Colocar 1 litro de água para ferver. Em seguida, adicionar oito colheres (de sopa) de folhas de erva-doce e manter o preparo em fervura durante 30 segundos em recipiente com tampa. Desligar o fogo e deixar a mistura descansar por cinco minutos, para que libere as substâncias ativas.

  • Chá de Erva-doce com Sementes

Ferver 1 litro de água e acrescentar três colheres de sopa de sementes de erva-doce seca. Apagar o fogo e deixe a bebida descansar por cinco minutos. Depois, coar – e está pronta para consumir.

A recomendação é de, no máximo, 3 xícaras de Chá de Erva-doce por dia, após as refeições.

Efeitos colaterais e contra-indicações da Erva-doce

Se estiver tomando anti-inflamatórios não esteroidais e corticoides, evitar consumir a erva.

Ela não é indicada para gestantes, principalmente em forma de chá, assim como para pacientes fazendo suplementação de ferro e pessoas com diverticulite, refluxo, úlcera duodenal e colite ulcerosa.

Entre os efeitos colaterais causados pelo consumo excessivo da planta estão: reações alérgicas, náuseas e vômitos.