Botox: Idade ideal e outras dúvidas

Botox Idade ideal e outras dúvidas

O botox é a abreviação para toxina botulínica, que é uma substância utilizada para paralisar uma determinada região, e por isso, possui diversas utilizações, sendo útil para tratamento de doenças como microcefalia, paraplegia, espasmos musculares e até mesmo para atenuar rugas faciais.

Após a aplicação do botox, a região fica ‘paralisada’ por cerca de 6 meses, sendo possível que o efeito comece a diminuir um pouco antes ou depois, sendo preciso uma nova aplicação de botox para a manter resultados.

Dúvidas mais frequentes sobre a aplicação de Botox

 1 – Eficácia e mecanismos de ação

A ação da toxina é ameniza rugas dinâmicas, aquelas provocadas por vícios de expressão, que aparecem quando os músculos da face estão em movimento, e também as rugas estáticas, que aparecem mesmo quando o rosto está parado. Porém, diferente do que muita gente pensa, o Botox não age na flacidez da pele. “A toxina botulínica é injetada no músculo e sua ação é paralisar o movimento muscular. Ao evitar essa movimentação, ela impede a contração muscular, que é o que forma a ruga”, orientam os dermatologistas.

Veja também:

Cirurgia plástica na Terceira Idade

3 Receitas caseiras para combater a queda de cabelo

2 – Contraindicação

Não podem fazer uso da toxina botulínica as gestantes, mães que amamentam, pessoas com doenças autoimunes, doenças neurológicas e que atingem os músculos; alérgicos à proteína do ovo ou que estejam fazendo uso de medicamentos com aminoglicosídeo.

3 – Riscos e desvantagens

“Entre os maiores riscos da toxina botulínica está o exagero na dosagem e a aplicação em regiões erradas, que pode resultar em assimetria, isto é, um lado ficar diferente do outro, pálpebra caída e em casos mais extremos, pode provocar botulismo, uma doença grave que paralisa os músculos”, resume o cirurgião plástico Fausto Viterbo, professor da Faculdade de Medicina de Botucatu (SP), da Universidade Estadual Paulista (Unesp). “Quando mal aplicado provoca aquele efeito máscara, que não é natural e nenhuma mulher quer. Do ponto de vista da saúde também pode prejudicar movimentos necessários para a sobrevivência como piscar, mastigar, deglutir e até respirar”.

4 – Regiões que podem ser tratadas

Pessoas que ao falar se expressam com sinais faciais em abundância, com o tempo, ficam com a pele cheia de rugas por causa desses hábitos de expressão. Sendo assim, as regiões do rosto mais beneficiadas pela técnica são as rugas da testa, glabela (entre as sobrancelhas), pés de galinha e qualquer ruga que se forme na região dos olhos.

5 – Envelhecimento avançado

A possibilidade de tratar rugas antigas e muito profundas divide a opinião dos especialistas. Alguns acreditam que o procedimento com Botox age melhor nas peles com um grau de envelhecimento suave e médio. Outros defendem que o método pode ser eficaz para qualquer nível de ruga.

6 – Como corrigir os exageros

Se o paciente sentir que a dose aplicada foi além do suficiente ou que a região tratada não ficou exatamente como ela queria, há duas maneiras de corrigir: Esperar o efeito passar, já que é temporário, ou lançar mão de outro procedimento para descontrair o músculo como a eletroestimulação com micro choques que fazem o músculo voltar a funcionar.

7 – Quanto custa?

O valor da aplicação geralmente é cobrado de acordo com o número de ampolas utilizadas no procedimento. Por sessão é cobrado, em média, de R$ 1.000 a R$ 1.500 reais, mas é preciso ver caso a caso.