Bico de Papagaio – O que é, sintomas e como evitar

Bico de Papagaio – O que é, sintomas e como evitar

O osteófito ou bico de papagaio, como é conhecido, surge nas vértebras da coluna, causando muita dor nas costas e formigamento, mas também pode ocorrer nos braços ou nas pernas.

A doença, definida pelo nome osteofitose, é chamada de bico de papagaio por apresentar uma forma de gancho que é semelhante ao bico dessa ave, ao vê-la na radiografia. A osteofitose vai piorando com o passar dos anos e não tem cura, porém existem formas de tratar, que vão de analgésicos a fisioterapias para aliviar a dor.

Principais sintomas do Bico de Papagaio

Bico de Papagaio – O que é, sintomas e como evitar

Veja também:

Exercícios que diminuem dores na coluna

Alguns dos sintomas que podem indicar a presença de ‘bicos de papagaio’:

  • Dor forte localizada nas costas ou que irradia até à coxa, principalmente quando se movimenta;
  • Sensação de formigamento nas pernas quando se desenvolve na região lombar ou nos braços caso se localize na cervical;
  • Diminuição da força muscular.

Estes sintomas são comuns a outras doenças osteoarticulares principalmente da coluna, portanto, para confirmar o diagnóstico é fundamental ir ao ortopedista para realizar um raio X da coluna ou ressonância magnética.

Através destes exames de imagem o médico pode detectar o desgaste do disco intervertebral, a aproximação entre as vértebras e a formação de proeminências na região lateral das vértebras semelhantes ao bico de papagaio.

Como se formam 

Por causa do envelhecimento e das más posturas ao longo dos anos, acontecem desgastes no disco intervertebral que fazem as vértebras se aproximarem muito, levando a formação de novas estruturas ósseas que se formam nas bordas das vértebras. Estas novas estruturas são cientificamente chamadas osteófitos e são uma forma do corpo tentar se defender.

Normalmente, os bicos de papagaio são resultado de más posturas ao longo de vários anos. Porém, também pode surgir devido a problemas como hérnias, artrose, escoliose, doenças autoimunes, como espondilite anquilosante e artrite reumatoide, por exemplo.

Como evitar 

  • Manter a postura correta ao sentar, andar e dormir;
  • Evitar carregar pesos elevados;
  • Ter um peso adequado e, se necessário emagrecer;
  • Praticar atividade física regulamente, principalmente exercícios com pouco impacto como hidroginástica, Pilates ou bicicleta.