Ar condicionado em excesso pode causar pneumonia

Ar condicionado em excesso pode causar pneumonia

Seja em casa, no trabalho ou no carro, o ar condicionado é uma alternativa para refrescar os dias de forte calor. Porém, quando o aparelho utilizado em excesso prejudica a saúde, aumenta o risco de doenças como gripe, sinusite, crises de asma, bronquite, infecções, podendo culminar em um quadro de pneumonia, alertam os especialistas.

Ar condicionado em excesso pode causar pneumonia

Exposição ao ar condicionado deve ficar abaixo de 2 horas por dia

Alguns consideram o eletrodoméstico a salvação, enquanto outros são negativamente impactados, mas não dá para negar o frescor proporcionado pela temperatura agradável. Assim, para evitar problemas de saúde, o período de utilização do aparelho não deve ultrapassar o período de duas horas por dia. Ultrapassado este tempo, o organismo já demonstra os primeiros sintomas de complicações em razão da exposição excessiva ao ar condicionado.

“Os cílios da mucosa nasal são necessários para proteger o organismo dos agentes bacterianos. O ar frio resseca a mucosa e promove a fácil entrada de vírus e bactérias no organismo, especialmente pelas vias superiores e se encaminham diretamente ao pulmão”, revela um profissional pneumologista. Então, pessoas alérgicas devem redobrar os cuidados com o uso do aparelho, pois qualquer estímulo pode desencadear uma crise de sinusite, por exemplo.

Com o ressecamento da mucosa, nosso organismo pede hidratação e é fundamental que o bebamos muita água durante o dia. Quanto ao nariz, o uso do soro fisiológico três vezes ao dia mantém a umidade da região danificada. Determinar a temperatura do ar condicionado também é uma das medidas preventivas de doenças e a recomendação é que o ambiente permaneça entre 20º C e 22º C graus.

Limpeza do aparelho

Assim como qualquer outro eletrodoméstico, o ar condicionado deve ser limpo para evitar o risco de problemas. “Mesmo que a função do filtro seja impedir a passagem das bactérias, ele não o faz totalmente e sobra água detida nos tubos, o que favorece o crescimento de uma colônia de vírus e são eles que prejudicam a saúde”. Orienta o pneumologista.