Andropausa – Entendendo mais sobre a “menopausa masculina”

Andropausa – Entendendo mais sobre a “menopausa masculina”

A andropausa, que também é conhecida como “menopausa masculina”, é uma redução na produção de testosterona, conforme os homens envelhecem. Quando essa redução na produção de hormônios começa a acontecer, diversas alterações no corpo humano também ocorrem, manifestando os sintomas da andropausa.

Sintomas da andropausa

  • Perda de energia;
  • Depressão;
  • Disfunção erétil;
  • Diminuição da massa muscular;
  • Queda da libido;
  • Insônia;
  • Alterações de humor;
  • Osteoporose;
  • Redução da capacidade de concentração;
  • Ondas de calor (fogachos), mas são muito raras.

Por que dizem que a andropausa é um mito?

Além do fato de que nem todos os homens sentem os sintomas, a andropausa pode ser confundida com o quadro da senescência (ficar senil, velho). Isso, porque, ela é uma consequência do avanço da idade, com todos os sintomas que já costumam ser esperados pela chegada da velhice.

Foi apenas em 1994 que a Sociedade Austríaca de Andrologia, admitiu a existência dela e estabeleceu-se a sigla PADAM (partial androgen deficiency of the aging male) para denominá-la.

Prevenção

Quanto aos fatores relacionados ao estilo de vida, uma dieta vegetariana e rica em fibras parece estar associada a níveis mais elevados de SHBG (globulina de ligação a hormônios sexuais) e testosterona do que uma a base de carnes com altos conteúdos lipídicos, o que poderia se dever ao fato de uma menor presença de insulina no sangue, geralmente, uma taxa anormalmente alta.

Reposição hormonal masculina

Andropausa – Entendendo mais sobre a “menopausa masculina”

Assim como a mulher pode fazer uso de hormônios sintéticos para atenuar os sintomas do climatério (período de transição entre ciclo fértil e infértil), existem diversas formas de repor sinteticamente a testosterona. A reposição pode ser feita via adesivos escrotais, não escrotais, géis e injeção. Ela também pode ser prescrita por via de cápsulas orais, tabletes sublinguais, cremes tópicos e supositórios.

Prós

Os níveis de testosterona ficam estáveis e todos os sintomas tendem a diminuir: com a regularização hormonal, o ganho de massa magra torna-se menos difícil, a libido é restabelecida (mesmo que em partes) e os problemas relacionados à queda de humor também tendem a, no mínimo, se atenuarem.

Contras

De acordo com estudo publicado pela Revista da Associação Médica Brasileira, feito pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, os efeitos da reposição hormonal no metabolismo da insulina e da glicose são muito controversos.

Estudos sugerem que a reposição de testosterona em homens idosos influencia o aumento da atividade da lipase lipoproteica hepática, ou seja, o colesterol é prejudicado e os riscos de que a pessoa sofra algum problema cardiovascular, aumentam.

A ginecomastia (surgimento de mamas) também pode ser uma complicação. Só que ela é benigna, infrequente e geralmente reversível. Também pode haver retenção de líquido, diminuição do volume testicular, reações cutâneas também são comuns, principalmente com o uso dos adesivos cutâneos.

As injeções intramusculares podem causar dor local, nódulos e furúnculos. É importante saber que todos os tratamentos podem gerar acne, oleosidade na pele e aumento de pelos corporais.