4 hábitos para um envelhecimento saudável

4 hábitos para um envelhecimento saudável

A população do Brasil tem vivido cada vez mais. A expectativa de vida tem crescido exponencialmente, o que tem ocasionado uma verdadeira revolução em nossa sociedade. Embora algumas áreas ainda não tenham despertado para isso, muitas outras já tem se adequado ao novo público que é antenado e está atento às mudanças ocorridas, pois tem muitas necessidades específicas e requerem atenção.

Entender quais fatores ocasionaram este aumento na longevidade do brasileiro é bastante importante, pois assim se poderá orientar cada vez mais pessoas, que poderão se beneficiar deste conhecimento e organizar suas vidas para que também possam manter suas vidas por mais tempo, com qualidade.

 

Os 4 hábitos de vida que aumentaram a longevidade brasileira

1 – Alimentar-se bem

Consumir alimentos saudáveis através de uma dieta balanceada é um ponto principal para viver mais. Consumir alimentos ricos em gorduras saturadas, sódio e açúcares são gatilhos para doenças como infarto, derrame, obesidade, hipertensão, diabetes e até câncer. Por outro lado, é fácil colocar no cardápio alimentos que propiciam a longevidade. De acordo com cientistas da Universidade Park, nos Estados Unidos, consumir mais oleaginosas (nozes, castanhas, avelãs, amêndoas e pistache) reduz o risco de males cardíacos entre 25% e 39%, quando consumidos cinco vezes por semana.

Um estudo da Universidade de Cingapura diz que o consumo diário de chá verde é um grande aliado da memória e pode prolongar a expectativa de vida dos idosos..

2 – Movimentar-se mais

Um estudo apresentado na Universidade de Estocolmo, na Suécia, aponta que em qualquer idade, um homem obeso apresenta o dobro de chances de morrer comparado a um que não é. Além disso, os resultados mostram que a obesidade diminui a longevidade em aproximadamente 10% para cada ponto acima do Índice de Massa Corpórea (IMC).

Além de diminuir o peso, praticar exercícios também ajuda a fortalecer os músculos e articulações, melhorando o equilíbrio e evitando quedas e outros acidentes. Além do aumento da capacidade física, cognitiva e da autoestima.

3 – Dormir bem

A perda de sono é comum com o passar da idade. Mas uma pesquisa realizada pela Universidade de Surrey, no Reino Unido diz que os idosos podem dormir menos do que os jovens sem prejudicar a saúde. Os especialistas acompanharam 110 pessoas de  idades diferentes durante oito horas de sono. Como resultado, pessoas acima de 65 anos chegaram a ter cerca de 20 minutos de sono a menos do que pessoas entre 40 a 50 anos. A diferença para os jovens de 20 anos aumentou ainda mais, para 44 minutos. Os cientistas afirmam que a menor necessidade de sono está relacionada ao envelhecimento saudável.

4 – Vida social intensa

Pesquisas revelam que idosos que mantêm vida social ativa tem maior longevidade. Uma pesquisa revela que a solidão é um fator determinante para a baixa qualidade de vida. De acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Brigham Young, nos EUA, ter amigos, familiares e pessoas queridas pode aumentar a longevidade em até 50% mais do que aqueles que vivem sós. Além disso, os estudos mostram que a solidão é tão prejudicial quanto ser alcoólatra ou fumar 15 cigarros por dia.