Papa Francisco diz que idosos merecem Prêmio Nobel

Papa Francisco diz que idosos merecem Prêmio Nobel

Papa Francisco surpreende mais uma vez, ao afirmar que deveria ser dado um “Prêmio Nobel” aos idosos. Ao longo de sua vida pública, o Papa Francisco tem dado muitos exemplos de humildade e igualdade, tanto através de seus discursos, como por meio de pequenas atitudes que acabam tendo repercussão mundial. Ele quebra protocolos e acaba não considerando pequenos detalhes formais para valorizar a vida, nunca perdendo uma oportunidade de olhar nos olhos das pessoas comuns. Nesta referência aos idosos, ele encoraja tanto os jovens quanto os mais velhos a construirem caminhos de comunicação.

“Os idosos são um tesouro, afirmou: por favor, não marginalizem os idosos!”. “Não marginalizem os idosos – reiterou -, não. Os idosos são a sabedoria”.

Veja também:

Pessoas acima de 80 anos tem prioridade sobre os outros idosos

Papa Francisco em Pietrelcina

“Eu gostaria que uma vez se desse o Prêmio Nobel aos idosos, que dão memória à humanidade”: foi o que disse o Papa Francisco, improvisando palavras, durante o encontro com os fiéis em Pietrelcina na manhã deste sábado (17/3).

“Os idosos são um tesouro, afirmou: por favor, não marginalizem os idosos!”. “Não marginalizem os idosos – reiterou -, não. Os idosos são a sabedoria”.

“E que os idosos aprendam a conversar com jovens e os jovens aprendam a conversar com os idosos – continuou. Os idosos têm a sabedoria de um país. Quando eu cheguei aqui, fiquei feliz em saudar um de 99 anos e uma “jovem” de 97. Muito bonito! Eles são a sabedoria de vocês!”.

“Conversem com eles – disse ainda Francisco. Que sejam protagonistas do crescimento deste país. A intercessão do Santo de vocês apoie os propósitos de unir as forças, de modo a oferecer especialmente às gerações mais jovens perspectivas concretas para um futuro de esperança”. “Não falte uma atenção solícita e cheia de ternura – como eu disse -,  aos idosos, que são o patrimônio de nossas comunidades. Gostaria que uma vez se desse o Prêmio Nobel aos idosos que dão memória à humanidade”, concluiu o Papa.