Ouça 7 músicas de Charles Aznavour – Que faleceu esta semana

7 músicas de Charles Aznavour – Que faleceu esta semana

A música francesa, e por que não dizer, mundial, perdeu esta semana (01/10/18), um de seus grandes ícones. O cantor, compositor e ator, Charles Aznavour faleceu aos 94 anos, deixando uma história de 70 anos de carreira, mais de 1,4 mil canções escritas e mais de 60 filmes.

O início de sua carreira

Dono de uma voz rouca e longe do perfil galã de um Frank Sinatra, Aznavour tardou a se convencer e a convencer amigos, produtores e outros artistas de seu talento. Edith Piaf, de quem era letrista, amigo e faz-tudo, foi apenas um entre aqueles cuja crítica o impediram de começar mais cedo.

“Falaram muito mal de mim. Houve muita maldade. Eu suportava os críticos, ignorava-os como podia, sem os esquecer. Nunca reagi, nunca escrevi que não estava de acordo, porque pensava que quanto menos eu falasse a respeito, mais seria feliz”, contou. “Um dia pararam de escrever, porque cansaram de dizer as mesmas besteiras.”

Mestre em expressar sentimentos, interpretou em francês, inglês, italiano, espanhol, armênio e russo, mas escreveu apenas em francês, a exceção de “uma canção e meia”, nas quais também demonstrou incrível desenvoltura. A primeira foi She, uma de suas letras mais famosas, escrita em parceria com Herbert Kretzmer.

Charles Aznavour no Brasil

Mesmo sendo muito simpático e acessível, não era de fazer média elogiando públicos ou artistas de países que visitava em turnês. Mas no Brasil, cuja música o influenciou, até por reconhecer nela traços da cultura francesa. “Vinicius de Moraes foi diplomata aqui em Paris. Não sei se ele foi influenciado pelos cantores franceses, mas seguramente o foi pelos poetas franceses. Baudelaire e outros, com certeza. E não foi o único.” E contou ainda ser admirador do maior poeta português. “É impossível não ser influenciado por Pessoa.”

La Bohème

She

Hier Encore

Tous Les Visages De L’Amour

Que C’est Triste Venise

Emmenez-Moi

Et Pourtant