Idoso de 85 anos transforma terreno baldio na “praça mais bonita da cidade”.

Às 6h, na praça que leva seu nome na cidade de Guayzala, interior de São Paulo, já se vê Newton Godoy Mello podando árvores e flores. “É um trabalho voluntário que faço todos os dias desde 1994”, disse o paulista de 85 anos, que também rega as plantas da região, pinta bancos, placas e calçadas e cuida da limpeza do espaço.
Por exemplo, hoje em dia, um jovem senta e toma refrigerante e coloca a garrafa em uma mesa lá dentro”, conta o aposentado. .
Segundo Newton, sua preocupação com o campo começou quando viu o terreno pela primeira vez. “Havia uma enorme mancha de mato e lixo na frente da minha casa”, lembrou o velho, que chegou a perguntar ao prefeito sobre a situação. “Ele me disse que planejava construir um espaço verde lá, mas meses se passaram e nada foi feito.”

Por isso, o novo morador decidiu iniciar o trabalho por conta própria. Ele plantou uma pitangueira no local e buscou outras mudas em hortos florestais da região, com a ajuda de sua mulher. “Lembro que fomos no Horto de Lins, também compramos de caminhões que passavam vendendo na cidade, e a prefeitura começou a trazer algumas espécies”, relata a esposa Santa Amália Testoni, que incentivou o marido a plantar pés de jabuticaba, manga, goiaba, abacate e de árvores como pau-brasil, aroeira e ipês roxo e amarelo.

Segundo ela, Newton trabalhava no hospital da cidade em turnos de 12 horas de serviço por 36 de folga, então aproveitava o tempo de descanso para cuidar do plantio. Inclusive, “tinha dias que ele chegava do hospital e ficava regando as mudas até 23h30”.

A maior dificuldade, no entanto, era a falta de água encanada no terreno. “O jeito era encher o baldinho na nossa casa e carregar”, conta Newton, que viu todo o trabalho ser reconhecido em 1998, quando a prefeitura instalou torneiras no local e nomeou o espaço como Praça Newton Godoy Mello. “Foi marcante!”, recorda a filha Nilce Testoni Borini, de 56 anos.

Uma década depois, outra reforma realizada na praça voltou a reconhecer o idoso com a instalação de mesas, bancos, luminárias e até de uma placa “Recanto do Vovô”, já que os netos e bisnetos do cidadão guaiçarense adoram brincar ali. Além disso, a filha conta que essa praça é conhecida como “a mais bonita da cidade”, e que o desenho atual dela é o mesmo elaborado pelo pai, há anos.

Por isso, Newton fica orgulhoso de ver o resultado de quase três décadas de trabalho e espera que seu exemplo inspire as novas gerações a também cuidarem do bem comum. “Infelizmente, percebo que é muito difícil conseguir alguém para ajudar a varrer, pintar ou regar o espaço”, lamenta. “A maioria das pessoas não valoriza o que é de todos, mas acredito que isso pode mudar”, finaliza o idoso, prometendo que continuará fazendo a sua parte. “Enquanto eu tiver forças, estarei sempre às 6 horas cuidando dessas árvores”.



Matéria feita pela, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.