Cantora Vanusa morre aos 73 anos

Cantora Vanusa morre aos 73 anos

A cantora Vanusa morreu na manhã deste domingo (8) em uma casa de repouso em Santos, no litoral de São Paulo, onde estava morando há cerca de dois anos.

Segundo informações obtidas pelo portal G1, por volta das 5h30min, um enfermeiro percebeu que a artista estava sem batimentos ok cardíacos. Acionada para ir ao local, uma equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) constatou a morte de Vanusa por “insuficiência respiratória”.

A assessoria da imprensa da cantora informou ao site que o empresário Rafael Vannucci, filho da cantora, viajou à São Paulo para encaminhar os trâmites do enterro.

Entre setembro e outubro, a cantora passou 32 dias internada para tratar de um quadro de pneumonia e anemia no Complexo Hospitalar dos Estivadores, em Santos. Antes de receber alta, Vanusa passou a realizar fisioterapia respiratória otimizada. 

Diagnosticada com pneumonia, ela foi levada para a UTI no dia 12 de setembro, por conta do seu quadro de pressão arterial e saturação de oxigênio baixos. A alta hospitalar foi anunciada no dia 9 de outubro. Após sair da instituição de saúde, a artista voltou a morar na casa de repouso.

Além de Rafael, Vanusa deixa as filhas Aretha e Amanda. 

Internação em clínica

No mês passado, Vannucci gravou um vídeo para explicar o motivo pelo qual decidiu voltar a internar a cantora em uma clínica após a alta hospitalar. O empresário explicou que a demência da artista estava em um “estágio muito avançado”. 

— Minha mãe não se alimenta sozinha mais, está acamada, usa fralda, não tem dentes na boca por não ter força para fazer um tratamento dentário e não lembra de muitas pessoas — afirmou, à época, na gravação publicada em seu perfil do Instagram. 

Segundo o filho, Vanusa estava doente há 15 anos:

— Só quem tem um idoso doente sabe o que é isso. Eu sei o que eu passo, o que minha família passa. Sou forte e continuo lutando e vou lutar pela minha mãe hoje e sempre — disse, no vídeo.

Carreira de sucesso de Vanusa

Vanusa Santos Flores nasceu em 22 de setembro de 1947, em Cruzeiro, São Paulo. A artista iniciou sua trajetória na música com 16 anos, no interior de Minas Gerais, apresentando-se em bailes e festas. Em 1966, ela foi catapultada por sua estreia no programa O Bom, apresentado por Eduardo Araújo na TV Excelsior. Participou também de algumas edições da Jovem Guarda, na TV Record, onde emplacou seu primeiro sucesso: Pra Nunca Mais Chorar.

Ao longo da carreira, Vanusa ainda ganhou reconhecimento com canções como Manhãs de Setembro e Sonhos de um Palhaço. Ao todo, gravou 23 discos, vendeu mais de três milhões de cópias e ganhou cerca de 200 prêmios. Também participou de programas humorísticos – como Os Adoráveis Trapalhões – e foi eleita, por dois anos consecutivos, a Rainha da Televisão. Nos palcos, representou o Brasil em festivais internacionais e atuou como atriz em diversos espetáculos.  

Em 1999, após cinco anos se apresentando com pouca frequência, ela estrelou o musical Vanusa – Ninguém é Loura por Acaso, em São Paulo. Escrita pela jornalista Léa Penteado, amiga da cantora, a obra autobiográfica era intercalada com os sucessos da artista e estimulava as mulheres a não desistirem de seus sonhos.

Dez anos depois, a cantora dominou a internet, mas dessa vez não em função do seu sucesso. Ao cantar o hino nacional na Assembleia Legislativa de São Paulo, Vanusa se atrapalhou e confundiu a letra.

Nos anos seguintes, a artista foi internada para tratamento de depressão e dependência química. Em 2013, após sair da clínica de reabilitação, ela retomou sua agenda de shows. Participou do projeto Salve Rainhas, que contava com a presença de 20 cantoras, onde podiam contar histórias de sua vida. Dois anos depois, Vanusa lançou um CD com músicas inéditas em parceria com Zeca Baleiro. O álbum, que leva o nome completo da artista, foi o seu último trabalho lançado.