Cada vez mais idosos moram sozinhos

Cada vez mais idosos moram sozinhos

O modelo de família onde o idoso migra para a casa dos filhos a uma determinada altura da vida está com os dias contados. Especialistas indicam que quando os idosos começam a precisar de auxilio hoje em dia estão indo cada vez mais para instituições de longa permanência ou repúblicas da terceira idade.

Mesmo que a maioria dos idosos ainda viva em casas próprias, a opção de buscar ajuda na casa dos filhos passa a ser uma opção cada vez mais complicada, pois as casas estão cada vez menores e as famílias também estão diminuindo.

Planejar a vida na terceira idade

A maioria de nós planeja passar a velhice em casa, mas não nos preparamos pra isso. Pequenas precauções podem prolongar a autonomia de idosos que poderão permanecer em suas próprias casas por mais tempo na vida, antes de precisar se mudar para algum lugar onde tenham maiores cuidados.

Especialistas dizem que mudanças na casa que aumentem a segurança como pequenas reformas com instalação de barras de segurança, corrimãos e até a possibilidade de mudança para um bairro mais estratégico.

A tecnologia a serviço da terceira idade

Há um grande número de aparatos eletrônicos à nossa disposição hoje, que podem dar suporte a uma vida mais independente. Aplicativos de celular que compartilham a nossa localização, câmeras de monitoramento em tempo real, pulseiras e colares com botão de emergência e planos de monitoramento que incluem telefonemas diários, até instalação de sensores de fumaça. A lista não tem fim.

Cuidadores de idosos remunerados

Outra saída que propicia continuar em casa, mesmo precisando de cuidados especiais é a contratação de cuidadores remunerados. Um “Senior Living”, como são chamados, custam caro, por isso uma saída que tem sido buscada é o compartilhamento da moradia com outros idosos com o objetivo de dividir as despesas deste tipo de serviço. Seria essa uma alternativa aos asilos convencionais.

Serviços públicos de cuidadoria

Existem cidades com serviços bem interessantes de cuidado aos idosos feito pelo poder público, com atendimento nas casas daqueles que precisam de pequenos cuidados, mas seu número é muito pequeno para o tamanho da necessidade atual.

Concordamos que o assunto não é tão agradável, mas é de suma importância abordá-lo, pois quanto mais cedo nos organizarmos nesse sentido, melhor poderemos nos posicionar para que continuar usufruindo dessa vida com maturidade e cabeça erguida.