Ary Fontoura – “Blogueiro” famoso da Terceira Idade na quarentena

No último dia 24, o perfil de Ary Fontoura completou 1 milhão de seguidores, ou de amigos, como ele mesmo gosta de chamar. Para comemorar a data que caiu na festa junina, o ator, sempre muito bem humorado, publicou uma foto com chapéu caipira e uma espiga de milho nas mãos. Aliás, o bom humor tem pautado não só a rede social do artista como, também, a sua vida. “Manter o bom humor é o melhor remédio, sem dúvida alguma, sobretudo em circunstâncias como esta. É o que eu procuro transmitir para os outros. O meu humor”, afirma em conversa exclusiva com o Na Telinha. Ser um digital influencer aos 87 anos é uma novidade para ele. De acordo com Ary, sua página começou despretensiosa, com finalidade social, apenas. “Isso está colocado em primeiro plano, de comunicação com um e com outro, de trocar ideias, de conversar”, analisa.

Ary Fontoura se surpreende

Hoje, o ator se diz surpreso com a quantidade de pessoas de diversos lugares do Brasil e até da Europa que se comunicam com ele. “Eu gosto demais disso. De ser, então, um ‘blogueirinho da terceira idade’, eu acho que não há problema algum. Pelo contrário, é maravilhoso! Foi e está sendo maravilhoso”, comemora. Em quarentena, Ary tem aproveitado esse período para dividir com seus internautas sua rotina diária, além de mensagens motivacionais. Para ele, esse contato tem tido um resultado muito positivo. “O isolamento social não é uma coisa fácil de carregar. Chega um determinado momentos que você não entende porque está preso há tanto tempo dentro de casa. Então, às vezes, dá vontade de sair”, confessa.

“Você olha pela janela, vê as ruas desertas…. As pessoas, normalmente, vão ficando um pouco deprimidas. Eu acho que o meu bom humor ajuda muito as pessoas a lidarem com isso”, opina.

“Há dias em que eu não estou bem, como todo mundo, porque ninguém é um super homem. Tem dias que são realmente difíceis, mas é um balançar de cabeças, sentir que tem que ser assim, que isso é para o bem de todos, que quando você se isola, você está pensando no seu próximo”, ressalta. Ary enxerga esse período de quarentena como uma grande lição. Ele acha que devemos manter o pensamento positivo e acreditar que tudo irá passar o mais breve possível e trará frutos.

“Nós devemos entender que a aproximação para com o nosso próximo deverá ser muito mais importante do que agora. Agora, eu sinto que a gente cultiva um certo egocentrismo. Eu penso, quero e acredito que isso acabará”, torce.