Estou na terceira idade – Posso namorar uma pessoa mais nova?

Estou na terceira idade – Posso namorar uma pessoa mais nova?

Com o aumento da expectativa de vida, novos horizontes se abrem pra nós da terceira idade em muitos aspectos. Voltar a estudar, realizar aquela viagem de aventura ou até mesmo viver uma nova paixão amorosa, são coisas cada vez mais presentes na vida de quem já passou dos 60 anos.

Como devemos encarar o novo momento?

Muitos desafios começam a aparecer, decorrentes desta nova maneira de encarar a vida na terceira idade. Da nossa parte precisamos aceitar os novos desafios e encarar as novidades de cabeça erguida, entendendo que, hora ou outra iremos nos deparar com circunstâncias novas, que ainda não foram vividas e que, por isso, não há uma conduta a ser seguida, visto que ainda não aconteceu em alta escala. Nós é que iremos abrir a trilha!

Como seremos vistos pelos outros?

A tendência da sociedade é de refutar comportamentos e posturas inovadoras e isso não será diferente para conosco. De maneira inconsciente, todos esperam, de forma geral, que os que passam dos 60 anos fiquem quietinhos dentro de casa, fazendo um café e cuidando dos netos. Se o nosso comportamento é diferente deste, e tomara que seja, certa resistência passará a ser percebida, mesmo que sutilmente.

E se os novos amores acontecerem?

Quando a vida pulsa em nossas veias, naturalmente novas paixões podem aflorar. Emanações de amor serão emitidas por nós e poderemos ser alvo delas. E nessa área, não existem regras pré-definidas: Nossos corações não se deixam moldar pelas convenções sociais e, hora ou outra, podem nos pregar peças. O que fazer se nos apaixonarmos por alguém mais novo?

Relacionamento com alguém mais novo

A vida dos famosos nos dá a oportunidade de saber a reação das pessoas sobre diversos assuntos. Quando vemos o Francisco Cuoco com sua linda namorada, a estilista e atriz Thaís Almeida, 53 anos mais nova que ele, não vemos tantas manifestações contrárias. Afinal, “ele é um homem bonito e saudável”, não há maiores complicações. Mas se a situação for ao contrário, se a mulher for a mais velha e o homem o mais novo, a briga está feita! Uma chuva de críticas contrárias começa a ser emitida, insinuando que “uma mulher desta idade precisa se aquietar” ou “será que ela não se coloca no lugar dela?” Ou ainda “tem gente que não tem o censo do ridículo!”.

O fato acima mencionado expõe claramente o preconceito explícito que, por esse mesmo fato, não pode ser levado em consideração.

 A idade não é o fator determinante

Estamos cansados de ver gente nova com posturas muito engessadas e envelhecidas, bem como pessoas da terceira idade com atitudes joviais e leves. Definitivamente a idade cronológica não é o fator determinante, principalmente no que diz respeito às relações amorosas. Tudo depende apenas de como os envolvidos na situação está encarando. Se a vida nos preparou uma destas, devemos investigar sinceramente os nossos corações e mentes, despidos de qualquer preocupação externa. Se for legítimo pra nós, as opiniões alheias podem ficar de lado.

Uma boa conversa com nossos familiares mais próximos pode acalmar as preocupações! E, olhando nos olhos deles seremos compreendidos, pois eles nos amam e querem a nossa felicidade.