Como transmitir experiência de vida aos jovens?

Como transmitir experiência de vida aos jovens?

Tempo de influenciar os outros

Quanto tempo já faz que nossos pés caminham sobre esta terra? Quantas experiências das mais diferentes formas e nuances pudemos ter até agora? Quantos processos já tivemos oportunidade de ver começar, se desenvolver e serem concluídos? E que antes de se encerrarem, davam-nos a impressão de que não iriam terminar nunca ou que jurávamos que teriam um desfecho totalmente diferente daquele que aconteceu bem diante de nossos olhos? Pois é. Existe uma lista enorme de coisas que passaram diante dos nossos olhos e que foram se somando umas às outras e, trazendo experiência com o passar do tempo, nos dando uma visão privilegiada de alguns assuntos na vida que podem ser muito úteis para aqueles que ainda estão num ponto da caminhada pelo qual já passamos.

Os primeiros obstáculos

Na terceira idade nos sentimos muito aptos para orientar os mais jovens, principalmente naquelas situações pelas quais já passamos, quebramos a cara ou não, mas agora sabemos exatamente onde terminará cada caminho. Mas, quando nos prontificamos a ajudar, nos deparamos com um obstáculo: Os mais jovens tendem a não dar crédito para o que falamos!

Percebemos que existe uma forte tendência em considerar nossas palavras como retrógradas e caretas! Que o mundo hoje seria tão diferente daquele em que vivemos a ponto de fazer com que toda a nossa experiência se torne desnecessária!

Diante desta recusa, daria até vontade de deixar que quebrassem a cara, pois depois iriam reconhecer, mas nosso ponto de maturidade não nos permite agir assim.

Conquistar para transmitir experiência

Se nesse momento, fizermos um pequeno esforço para nos lembrar de como pensávamos quando tínhamos a idade deles, encontraremos um bom caminho de renovação da nossa paciência para lidar com a afronta, bem como estratégias para agir, de forma que possamos romper a barreira do preconceito, a ponto de transmitir a experiência valiosa.

Claro que, para tanto, precisaremos relevar muita coisa e aceitar que embora tenhamos muito a ensinar, os tempos realmente mudaram e há muito ainda a aprender!