Piedade – O que quer dizer de verdade essa palavra?

Piedade – O que quer dizer de verdade essa palavra?

A Palavra piedade é entendida atualmente com o significado comum de se ter pena, compaixão, no entanto, não é este o seu significado no texto da Bíblia, onde é vertida do grego eusebeia, que significa devoção, e piedade em seu significado original, que descreve a condição de ser pio (palavra latina) para bondoso, devoto, cumpridor de deveres.
O oposto a isto é ímpio, impiedoso, impiedade.

O verdadeiro significado da Piedade

Podemos entender melhor o significado bíblico de piedade, pela palavra rasha (ímpio) em hebraico, que ocorre cerca de 250 vezes no Velho Testamento, quase sempre em oposição à palavra justo ou santo.
Ímpio na Bíblia é sempre aquele que se opõe a Deus e à sua vontade. Geralmente por motivo de incredulidade, e portanto não exprime qualquer tipo de devoção a Deus.
Assim, podemos entender o uso que os escritores do Novo Testamento fazem da palavra piedade como que para se referir à condição daqueles que têm fé em Cristo, e que amam a justiça do evangelho, a Cristo e aos seus mandamentos, expressando-o numa vida de devoção a Deus tanto interna, quanto externamente.

Paulo alinha a piedade em I Timóteo 6.11 com a justiça, a fé, o amor, a constância, e a mansidão.
Em I Timóteo 6.3 e Tito 1.1 o apóstolo Paulo afirma que a sã doutrina, ou seja, a Palavra de Deus, o Evangelho, a verdade, é segundo a piedade, ou seja, a sã doutrina conduz a uma vida piedosa, e o exemplo perfeito desta vida piedosa está em Jesus Cristo, com o qual então a palavra que pregamos deve estar conformada.
É pela prática da Palavra de Deus que uma pessoa é tornada piedosa, ou seja, devotada aos deveres que tem para com Deus, e isto há de ser visto em sua vida devocional particular ou publicamente, no seu lar ou na Igreja, ou onde mais em que se encontre.
Orar, meditar na Palavra, congregar com os santos, faz parte da piedade, ou seja, da devoção.

A vida de piedade é a expressão prática da nossa adoração e serviço a Deus.
Por isso o apóstolo Pedro a coloca no final da lista de virtudes que relaciona em sua segunda epístola, antes da fraternidade e do amor, como sendo parte deste resultado final, depois de termos crescido na fé, na virtude, no conhecimento, no domínio próprio, e na perseverança.