Felicidade e alternância – O poder do equilíbrio

Felicidade e alternância - O poder do equilíbrio

Há uma sinalização interessante presente no nosso dia a dia que por vezes para despercebido: O prazer nas alternâncias.
Depois de almoçar queremos comer algo doce, no frio preferimos bebidas quentes e no verão, refrescos. Se estivermos por muito tempo sem folga, sonhamos com as férias, mas não é difícil encontrar pessoas entediadas por estarem muito tempo longe do trabalho.

Existe um segredo prazeroso nas alternâncias!

Talvez isso explique o fascínio que o amanhecer e o entardecer exercem sobre nós!

Precisamos aprender a utilizar com sabedoria deste artifício que pode dar um “upgrade” nos nossos dias!
Rechear nossas vidas de atividades que façam contrapontos interessantes ao ritmo habitual pode trazer o frescor necessário para que a sensação de felicidade seja mais possível.  
Sim! Sensação de felicidade. Pois acredito que acreditar que sou feliz é um quesito importante! Somos seres complexos e uma boa parte do que somos está baseado naquilo que pensamos de nós mesmos… Mas creio que esse assunto pode ficar para outro capítulo.

Alternância X Equilíbrio

Se alternar polos pode ser um caminho de satisfação pessoal, estar longe do centro certamente dificultará as coisas. Para que a alternância aconteça, preciso estar perto da marca do zero, na escala, pois se estiver distante, maior será o trajeto de retorno para que a mudança de negativo para positivo aconteça, por exemplo.
Os exageros podem, além de trazer um entorpecimento desgastante, impossibilitar a agilidade do ponto de alternância.

Felicidade não é um estado contínuo de sorriso. Isso seria patológico.

Estar só pode, além de outras coisas, me ajudar a valorizar as companhias; Me abster tem a força de ressaltar os sabores no momento do desfrute; Fechar os olhos pode me dar condições de ver de verdade a beleza de todas as cores!