Entenda o poder transformador da Empatia

Entenda o poder transformador da Empatia

A empatia é mais do que um atrativo traço de personalidade. É um instrumento de cura! Um pouco de empatia percorre um longo caminho.

Jesus entendeu isso melhor que qualquer um. Ele interagiu com pessoas de todas as esferas da vida – de comerciantes ricos para cobradores de impostos, para trabalhadores de colarinho azul, para os marginalizados da sociedade.

Jesus mudou a vida deles porque primeiramente entendeu a vida deles!

Para seguir o exemplo de Cristo, precisamos reconhecer algumas verdades sobre empatia.

A empatia requer poderes de observação elevados.

O primeiro passo no desenvolvimento da empatia é a percepção!

Isso significa prestar muita atenção às pessoas ao seu redor – olhando além de seu rosto público em busca de sinais de…

  • Dor,
  • Solidão,
  • Confusão,
  • Depressão,
  • Insegurança,
  • Ou quaisquer outras emoções com as quais possam estar lutando.

Em alguns casos, isso pode significar simplesmente observar pessoas que são negligenciadas pela sociedade – os sem-teto, os viciados, os idosos.

Quando alguém que está acostumado a ser ignorado é reconhecido de alguma forma, isto é uma empatia para com essa pessoa. Quando agimos assim são criados todos os tipos de potencial e oportunidades para fazermos diferença na vida dela.

A empatia é um “cartão atrativo”.

Jesus não curou todas as pessoas com deficiência ou feridas que vieram para vê-lo. No entanto, multidões ainda se aglomeravam a ele.

Parte disso certamente pode ser atribuída à esperança de ganhar a “loteria de cura” – sendo escolhido por Jesus para uma cura manual da cegueira, surdez, paraplegia, doença, possessão demoníaca e ocasionalmente a morte. Mas parte disso também pode ser atribuída ao simples fato de que Jesus os notou.

Ele não desviou o olhar ou se apressou [fugindo] quando encontrou pessoas feridas. Ele as procurou e olhou fixamente para seus olhos. Ele tomou nota de suas circunstâncias.

Ele sentiu sua dor. Ele ficou irritado em ver como as pessoas eram desamparadas. Ele identificou tão fortemente com eles que confundiu Seus outros seguidores (ver Mateus 25: 34-40).

As pessoas feridas no primeiro século de Israel reuniram-se a Jesus porque podiam dizer que Ele se importava com suas lutas. Eles podiam sentir Sua empatia.

O que era verdade para Jesus 2.000 anos atrás é verdade (em menor grau, claro) para seus seguidores hoje.

Se as pessoas reconhecerem a empatia de Cristo em nós, elas serão atraídas para nós. Eles nos convidarão para suas vidas. Eles nos darão a chance de fazer a diferença. (ver Atos 2:46-47).

A empatia trabalha maravilhas sociais!

A empatia é a chave que abre as portas para conversas significativas – o tipo de interação que pode mudar vidas.

A própria natureza da empatia, tentando entender os pensamentos e sentimentos de outra pessoa, leva à abertura e transparência.

As perguntas certas, feitas com sensibilidade, sinceridade e empatia, podem atrair pessoas de formas surpreendentes.

Saber que alguém se importa o suficiente para fazer as perguntas é o começo da cura para muitas pessoas.

A empatia também ajuda muito a diminuir o conflito.

Se as pessoas sentirem que você está tentando convencê-las de sua opinião, elas quase certamente manterão a guarda ativa.

Se, por outro lado, eles perceberem que você está tentando entender o ponto de vista deles, eles estarão mais propensos a se abrir.