Como vencer a preocupação

Como vencer a preocupação

Todos nós sabemos, ou deveríamos saber, que ser cristão não é uma promessa de vida fácil. Pelo contrário, quando estamos no caminho da verdade, muitas coisas parecem vir de encontro a nós para desviar nossa atenção do foco, que é Jesus Cristo.

E quando digo que o foco é Jesus, tenho em mente o pensamento constante em obedecer e agradar o Pai. Tendo fé plena de que o Filho de Deus se entregou por nós. Ele já nos absolveu de todos os nossos pecados e dores, nos dando a possibilidade de viver, através do Espírito Santo, o Reino de Deus. Um lugar onde não há choro, tristeza ou inquietação.

O “problema” maior é que, apesar de já termos renascido em Cristo, ainda vivemos em um corpo de carne. Esse nosso corpo é corrompido pelo pecado e incapaz de escolher fazer a vontade de Deus. É por isso que Paulo diz, na carta aos Gálatas, que lutemos para andar constantemente no Espírito. Ora, andar no Espírito nada mais é do que viver com a nossa consciência focada em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.

Gálatas 5:16 Digo, porém, o seguinte: vivam no Espírito e vocês jamais satisfarão os desejos da carne. (17) Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito luta contra a carne, porque são opostos entre si, para que vocês não façam o que querem.

Por que ficamos inquietos?

A Bíblia retrata, na parábola do semeador, que existem três coisas que impedem nosso crescimento e frutificação em Jesus. São estas coisas: ignorar a Palavra de Deus; não se aprofundar e alimentar nossa fé e deixar que as paixões deste mundo nos tirem do caminho (Lucas 8:12-14).

Ainda temos nossa vida cotidiana. Vivemos em meio a preocupações no trabalho, nos estudos, na família, nos relacionamentos entre outras coisas. E como disse no começo do texto, parece que quando estamos com Cristo, todas essas coisas ficam mais difíceis de lidar. E ficam mesmo. As tentações e os sofrimentos dessa vida tem o papel de provar a nossa fé e tentar nos fazer parar. E é por isso que devemos fazer o possível para que nossa mente esteja concentrada na paz de Deus. Sendo isso possível apenas através da constância na leitura da Palavra e nas orações.

Muitas vezes a ansiedade e preocupação nos fazem enxergar as situações de forma exageradamente problemática. Ao nos relacionarmos com Deus através da Palavra e da oração, retiramos as lentes da ansiedade. Ao esperarmos n’Ele, passamos a ver as situações como Deus vê. Começamos a enxergar os milagres e as oportunidades que Ele tem nos dado em vez de olharmos para o que nos falta de acordo com nossa visão humana e limitada.

Vencendo a preocupação

Filipenses 4:4 Alegrem-se sempre no Senhor; outra vez digo: alegrem-se! (…6) Não fiquem preocupados com coisa alguma, mas, em tudo, sejam conhecidos diante de Deus os pedidos de vocês, pela oração e pela súplica, com ações de graças. (7) E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.

O texto de Filipenses 4 é quase um hino a uma vida de paz com Deus. Nele, o apóstolo Paulo deixa uma fórmula para nos trazer tranquilidade: oração, súplica e ações de graças.

Devemos apresentar nossos pedidos a Deus por meio da oração e pela súplica, que devem ser acompanhadas por ações de graça. Ao apresentarmos nossos pedidos, tentamos alinhar nossa vontade à vontade soberana de Deus. Quando suplicamos, reconhecemos nossos erros e pecados e entendemos que não somos merecedores da graça de Deus. Através das ações de graças, reconhecemos a bondade do Senhor em todas as situações, sejam elas boas ou más. Depois disso, o texto diz que a paz de Deus, que ultrapassa todo o nosso entendimento (de modo que não conseguimos a explicar), guardará, como um sentinela, nossa vida emocional e racional. Representados através da mente e do coração, no versículo 7.