Aprendendo a encontrar-me comigo

Aprendendo a encontrar-me comigo

As pessoas sempre tiveram dificuldades em conhecer-se a si próprias. Uma das maiores dificuldades do ser humano é ter que enfrentar sua realidade interior, nua e crua.
As relações interpessoais são recheadas de ingredientes fantasiosos que utilizamos para nos apresentar melhor, conviver com mais facilidade e conseguir nossos objetivos nos ambientes em que vivemos.
As posturas são diferentes para cada ocasião, e isso é importante, pois num ambiente de trabalho, por exemplo, não podemos agir da mesma forma com que nos apresentamos em uma festa. O problema é que se me dedico o tempo todo nessa dinâmica de representações corro o risco de me tornar um estranho a mim mesmo, caso não encontre diariamente com meu eu legítimo.

Eu comigo mesmo

O mundo hoje nos impõe uma velocidade cada vez maior. Tudo precisa ser cada vez mais rápido e essa instantaneidade que é alavancada pela tecnologia, acaba imprimindo um ritmo que não deixa espaço para a tranquilidade necessária de um encontro íntimo individual. Sim, olhar pra mim mesmo demanda tempo. Tempo pra rever posturas e responder sem máscaras, cada posicionamento que tenha ficado pendente de explicação. Tendemos a fugir disso. Adiamos isso. Ligamos mais uma vez a televisão.

Melhor é o homem paciente do que o guerreiro,mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade.Provérbios 16:32

Para “controlar meu espírito”, ou seja, agir adequadamente, organizar minhas emoções, equilibrar-me, preciso conhecer a mim mesmo e estabelecer um relacionamento produtivo que redunde em resultados satisfatórios de paz. Uma tarefa difícil, mas insubstituível.

Essa dificuldade acaba nos fazendo tentar assumir minhas fantasias e máscaras como se fossem a verdade sobre nós! O problema é que elas só funcionam na presença de outras pessoas, assim, passamos a fugir de estar sozinhos. Enchemos nossos dias de “relações” que preencham qualquer lacuna, a fim de evitarmos o temido encontro. Essa atitude pode nos destruir, pois muitos até intentaram contra as próprias vidas, tamanha dor que um encontro adiado por muito tempo pode trazer.

Podemos começar pedindo perdão a nós mesmos, iniciando assim uma conversa que pode até ser complicada no começo, mas que logo se organizará, pois nos conhecemos e precisamos acreditar em nós mesmos. Quando isso acontecer, passaremos a não ter mais medo da solidão, pois quando estivermos sós, experimentaremos a amizade de Deus ao notar que em cada encontro destes, Ele sempre está presente.