Amigos na terceira idade fazem mais bem a saúde que familiares

Amigos na terceira idade fazem mais bem a saúde que familiares

De acordo com um estudo realizado em 2017 que foi publicado na revista científica “Personal Relationships”, na terceira idade as amizades tendem a ser mais importantes para o bem-estar, até mesmo do que as relações familiares. Os amigos fazem a diferença.

Sem ter o objetivo de diminuir a importância do papel da família na vida do idoso, que é primordial para que tenha uma vida satisfatoriamente plena, o estudo realçou a importância das amizades, tanto de muitos anos como as recém-criadas, como centrais na construção de uma velhice saudável.

Amigos na terceira idade fazem mais bem a saúde que familiares

A importância dos amigos na terceira idade

Enquanto que, em muitos casos, nossos laços familiares já são de uma certa maneira icônicos, onde nós, os “patriarcas e matriarcas” fundadores da família somos muito honrados, mas estamos cada vez mais longe das relações diárias dos nossos parentes, as amizades continuam sendo relacionamentos muito próximos onde se podem ser compartilhados pensamentos, sentimentos, desejos e frustrações com mais facilidade no dia a dia.

Ciclos familiares concluídos

 O amor dos nossos filhos, netos e outros familiares é inquestionável. Somos cuidados e lembrados em nossas necessidades, e podemos contar com eles sempre. Essa importância é indiscutível, porém os ciclos nos quais tínhamos papéis principais em suas vidas cotidianas foram, na maior parte das vezes, concluídos.

Os filhos foram criados e agora ocupamos papéis mais figurativos/emocionais que qualquer outro que se encaixe no cotidiano deles. Daí a importância da presença das amizades para preencher alguns espaços.

Consequências das amizades na saúde

A interação social é um fator de proteção no envelhecimento saudável e ativo, pois através do cuidado que prestamos e recebemos dos amigos, damos manutenção no nosso sentido de controle pessoal, resultando em bem-estar psicológico. Além disso, diferente dos familiares, nossos amigos foram escolhidos por nós, através de confiança conquistada e afinidades em comum.

A manutenção destas relações mantém ativas nossas capacidades cognitivas, além de manter a depressão bem longe.