3 passos para ser feliz na terceira idade

3 passos para ser feliz na terceira idade

Não é difícil encontrar pessoas que chegaram à terceira idade de mal com a vida. Quando a nova fase chegou, trouxe junto dela uma crise existencial que, para muitos, é um misto de frustração, desânimo e desapontamento.

Cada vez mais os consultórios dos terapeutas têm sido procurados por idosos que relutam com a realidade da vida e acabam por submergir em patologias emocionais e/ou psíquicas que acabam abreviando seus anos de vida ou fazendo com que eles não sejam vividos com a qualidade que poderia ter.

Os motivos da frustração

Durante a vida toda fomos bombardeados por conceitos sobre a velhice que fomos guardando dentro de nós. Muitos deles se referiam ao período após os 60 anos como aquele que iríamos poder “descansar”, sem precisar trabalhar mais e que finalmente iríamos começar a “curtir a vida”. Mesmo que não fosse totalmente consciente, mas todos nutrimos uma expectativa mediante estas promessas que circulam no senso comum e acabam por nos influenciar.

Quando finalmente chegamos a este estágio da vida, muitos de nós percebemos que este tal descanso está se tornando entediante e solitário, parecendo que o sentido da vida sumiu. Somando-se às restrições financeiras e os problemas de saúde que não param de nos incomodar.

Primeiro passo: Não fujamos do que precisa ser resolvido

Para que possamos imprimir um ritmo de vida que faça sentido precisamos encarar todas as coisas que se apresentarem. Uma atitude de fuga não irá resolver os problemas, pelo contrário, intensificará o impacto negativo deles.

Precisamos fazer um exame? Vamos em frente. Surgiu uma suspeita de alguma doença? Vamos investigar. É necessário que recalculemos nosso orçamento? Mãos à obra!

O importante é que, mesmo que não possamos resolver, que aja em nós um espírito pronto para enfrentar.

Segundo passo: Adaptemo-nos à nova realidade

 Não queremos ser principiantes, mas quanto mais vivemos, mais percebemos que não possamos de principiantes!

Neste ponto da caminhada já deu pra ver que nunca estamos totalmente preparados pra vida. Ela sempre apresenta algo novo, diferente e desafiador. Qual é a novidade de hoje? Devo perguntar isso todo dia, pronto para iniciar o processo de adaptação.

Novos remédios? Ok! Restrição física? Trabalhemos o caso. Independente do que for, precisamos preparar nossos corações para nos adaptarmos da melhor forma possível!

Terceiro passo: Extrair a maior porção de felicidade possível

 Depois de me adaptar aos problemas que surgiram, corrigindo rotas e estabelecendo novos cenários, é imprescindível nos equiparmos de uma grande vontade de ser feliz, dentro da nova realidade! Extrair a maior porção de alegria, contentamento e prazer que a vida tiver pra mim! Continuar nos dedicando às pessoas que amamos, livrando-nos de qualquer auto-comiseração e celebrando, pois com certeza a vida vale a pena!