Por que as pessoas malham o Judas? Entenda

Por que as pessoas malham o Judas? Entenda

Neste sábado que antecede a páscoa, e história se remete a uma parte específica do relato bíblico que alimenta o imaginário cristão há séculos e deu origem a uma atividade folclórica popular que se difundiu entre os cristãos católicos pelo mundo todo. A “Malhação” ou “queima” de Judas.

O Relato bíblico

De acordo com a história relatada na bíblia, Judas Iscariotes, um dos discípulos de Jesus, diante da acusação de que Jesus fosse um agitador de multidões e que estivesse ofendendo os dogmas religiosos de seu povo, vendeu a delação deste, em troca de 30 moedas de prata, aos romanos que já o procuravam para prender.

No momento da chegada dos soldados, Judas indicou quem era o mestre através de um beijo.

Logo após a prisão e morte de Jesus na cruz do calvário, Judas teria se arrependido tanto que se enforcou no campo que havia comprado com o dinheiro da delação, depois que tentou devolver o dinheiro aos executores.

Veja também:

A Páscoa e os Ovos de Chocolate – Entenda

A tradição folclórica

A manifestação popular consiste em confeccionar um boneco com tamanho de homem, feito com roupas costuradas e cheio de palha, que representaria Judas. No Sábado de Aleluia, a dinâmica se dá quando este boneco e levado pelas ruas e a multidão com pedaços de pau seguem açoitando-o, numa representação de repúdio à atitude de Judas contra Jesus. O movimento termina com a queima do boneco, simbolizando sua destruição no fogo do inferno. As pessoas, principalmente crianças, percorrem as ruas da cidade com essa “encenação”, quando são recepcionadas pelos outros moradores com doces, balas e outras guloseimas, insinuando que aprovam a atitude deles e concordam com a ação de repulsa ao ato de Judas que, por causa do que fez, destinou o Cristo à morte dolorida na cruz. Sem antes ter sofrido todo o escárnio que antecedeu a isso.

Interpretando a malhação de Judas

Cabe a nós hoje, moradores do século XXI, interpretar este costume e decidir se ainda validamos esta prática, analisando suas consequências práticas sobre a vida das pessoas.

Podemos entender que a atividade cultural da malhação do Judas é uma maneira da população demonstrar que não concorda com a calúnia e a injustiça? Ou que está demonstrando que que através da violência que devemos lidar com os reveses da vida?