O Verdadeiro amor

O Verdadeiro amor

O amor de Deus é objeto de inúmeros estudos e questionamentos. É algo profundo e extremamente valioso. É esse amor que nos mantém, ajuda e consola.

Neste estudo bíblico veremos o que significa a expressão: Deus é amor. Isto porque, ela está carregada de algo profundo e sem precedentes. Nenhum conto, ou ilustração ou demonstração de afeto, se compara ao grande e precioso cuidado de Deus.

Portanto, leia este estudo até o final, e descubra porque o amor do Senhor nos constrange.

Deus é Amor 

A bondade do Senhor é fruto de sua essência. Nós amamos. Deus não, ele é amor (1 João 4:8). A diferença é infinita. Por quê?

Tudo o que Deus cria, executa, fala, estabelece, etc., é fruto do seu amor. Até mesmo os juízos e a justiça. A Bíblia diz que Ele é Bondade, Justiça, Fidelidade, etc. Mas todos esses atributos derivam do seu amor.

Ou seja, dizer que Deus é amor é reconhecer que todas as suas atitudes são ditadas pelo amor.

O Amor de Deus 

O apóstolo afirma que Deus é amor (1 João 4:16). Logo, isso nos faz pensar que estar nele é estar diretamente ligado ao amor e estar ligado ao amor é estar ligado a Deus.

Mas como ocorre essa conexão?

João diz que isso acontece por que conhecemos e confiamos (ou cremos) nesse amor. Aqui existe uma “via de mão dupla”: conhecer é crer, e crer é conhecer.

A fé gerada pelo Espírito Santo nos faz “entender em parte” o funcionamento desse amor. Essa revelação embora limitada (1 Coríntios 13:12) produz em nós a confiança da salvação, nos mostrando o que Deus tem feito por nós em Cristo.

Sem o reconhecimento da obra de Deus através da morte de Jesus e da sua ressurreição, dificilmente conheceremos o seu amor. Permanecer nessa revelação, é permanecer no amor do Senhor.

Ele não se revela em qualquer manifestação de afetividade ou relacionamento. Esse amor se revela na manifestação do sentimento que está em consonância com a personalidade de Deus, Sua Palavra e Sua Vontade.

O amor do Senhor se manifesta tanto quando Ele age com bondade, como quando ele age com justiça, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam. Justiça e juízo também são manifestações da graça de Deus. O verdadeiro amor pune com o fim de preservar.

O Amor de Cristo 

O amor de Deus revelado em Cristo Jesus é o amor que não acaba. Willian Shakespeare, na famosa peça: Romeu e Julieta, mostra que Romeu demonstra o seu amor pela amada ao preferir morrer a viver sem ela.

Da mesma forma, Julieta ao ver o amado morto, percebe que não há mais motivos para viver, e também tira sua própria vida. Eles permanecem “juntos” na morte.

O amor revelado em Jesus é muito mais intenso, por isso eu aconselho você a ler o Estudo Bíblico: Jesus me ama.

Por meio do apóstolo Paulo, o Espírito Santo nos mostra que, quando nós não queríamos a Deus, isto é, quando o rejeitávamos, Ele já nos amava. E isso foi provado com sua morte na cruz (Romanos 5:8).

Ele “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará” (1 Coríntios 13:7,8). Ou seja, é algo eterno.

Na crucificação, o Filho de Deus tudo sofre, crê e espera, por nos amar (1 Coríntios 13:7,8). Para que eu e você tivéssemos a oportunidade de ter relacionamento vivo e profundo com o Senhor. Isso quando ainda estávamos mortos em delitos e pecados. Longe de Deus.

Como é precioso o amor do Senhor!

Deus de Amor 

Como já foi dito o amor é o responsável por todos os atos de Deus. Em Efésios 2:4,5, vemos que ele produz a misericórdia que é abundantemente derramada sobre nós. Antes que Ele manifestasse a sua misericórdia, todos nós vivíamos como zumbis, mortos em pecados e erros. 

Deus é quem nos dá o maior exemplo de altruísmo ao enviar Jesus como expiação para os nossos pecados. Dessa forma ele manifesta a sua misericórdia (compaixão) por nós. Isso veio impresso na alma de Jesus. (Mateus 9:36).

O Amor Que Ele Tem Por Nós 

O Amor de Deus não é seletivo. Exclusivista. Deus não ama apenas aos espertos, ou de pele e olhos claros, ou mesmo os negros. Nem apenas aos pobres ou aos ricos. Nem somente aos santos, ama também aos pecadores. 

Ele ama todo o mundo (joão 3.16). Isso ficou ainda mais evidente com o nascimento de Jesus. O propósito de Deus não é a condenação da humanidade. Ele enviou seu Filho Jesus para nos mostrar isso pessoalmente.

É algo que não está à disposição de alguns, como afirmam algumas doutrinas teológicas. Deus amou a humanidade e enviou Jesus, não para condenar, mas para salvar os perdidos.

Um Amor Que Nos Constrange 

Analisando o amor que o Senhor tem por nós, o apóstolo Paulo chegou a uma conclusão, ele é um amor constrangedor (2 Coríntios 5:14). Ele se sentia impelido, impulsionado, catapultado a testemunhar sobre este grande amor revelado em Jesus.

Na verdade, todos nós devemos nos sentir assim. Ao observarmos o sofrimento de Jesus no Getsêmani, vemos o quão difícil foi o seu ministério. O quanto doeu nos salvar. O quanto ele precisou doar a si mesmo e abrir mão de tudo o que ele é. Tudo isso por mim e por você.

Isso não te constrange? A ser melhor? Mais fiel? Mais consagrado? Dedicado?

O Amor a Deus 

Deus nos ama, isso é incontestável. Mas e quanto ao nosso amor por Ele, como deve ser?

O Senhor Jesus mensurou da seguinte forma: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’ (Mateus 22:37). Ou seja, com todo o nosso ser. 

Devemos amá-lo sobre todas as coisas. Família. Esposa. Filhos. Todos devem estar em segundo lugar. O Senhor deve ser o centro. O amor a Deus deve preencher todo o espaço.

Não importa se você será uma pessoa popular. Agradável. Ame a Deus em detrimento de qualquer outra coisa ou escolha que precise fazer.

É uma amor dedicado, intenso e vai até o fim. A minha oração é que ele produza em nós essa dedicação de amor a Ele.

Conclusão 

Aprendemos que o amor, em Deus é a mola propulsora de todas as decisões, ações, criações, etc. Tudo o que Deus faz é com base nele. Não é à toa que a Escritura declara que Deus é amor.

Deus nos ama de forma profunda, intensa, calorosa e demonstrou isso no nascimento, na vida, no ensino, na morte e na ressurreição de Jesus.

Qual a importância desse amor na sua vida? Que lugar ele ocupa? Como ele tem impactado você? Deixe seu comentário. Expresse sua opinião, será ótimo.

Compartilhe esse estudo bíblico com seus amigos e familiares, acredito que será bênção na vida deles.