Carne-seca, carne de sol e charque – Entenda as diferenças

Carne-seca, carne de sol e charque – Entenda as diferenças

Tanto a carne-seca a carne de sol e  o charque passam por um processo de salgamento, que é um dos métodos mais primitivos que existem para a conservação dos alimentos. Como não existia a refrigeração, a solução era conservar a carne com bastante sal.

Diferença entre a carne seca,carne de sol e charque

Carne-seca, carne de sol e charque – Entenda as diferenças

Carne-seca

A carne-seca é a mais salgada entre as três, chegando a possuir 15% de sal. Ela passa por um processo de desidratação mais longo e muito mais intenso. As mantas de carne são empilhadas em ambientes secos para desidratar e depois são levadas ao sol para terminar de curar. Por conta da quantidade de sal e o tempo de cura desse processo, a carne-seca é menos úmida e dura mais que as outras.

Carne de sol

Típica da região Nordeste, a carne de sol tem esse nome porque, antigamente, era desidratada exposta ao sol! Hoje em dia não é mais assim: acrescenta-se uma camada fina de sal ao corte bovino e, então, ele é colocado em local coberto e bem ventilado para a secagem. O tempo de cura é mais rápido, o que resulta numa carne mais úmida, macia e com menos sal. Ótima para ser desfiada e utilizada em escondidinhos deliciosos, como escondidinho de carne de sol com batata e creme com requeijão e escondidinho de abóbora com carne de sol.

Charque

Por último, temos o charque! Ele é típico do Rio Grande do Sul e seu processo de desidratação é bastante parecido com o da carne-seca. A diferença está na quantidade de sal utilizada: ela é bem mais salgada e fica com textura mais firme. O charque é preparado com carnes que com bastante gordura, geralmente os cortes dianteiros do boi. As peças são salgadas e levadas para descansar por um longo período. Depois da desidratação, a carne é levada para a secagem e fica por cerca de 10 dias. Com sabor mais intenso, o charque é excelente para deixar o seu feijão muito mais saboroso!